Coronel Azevedo cobra fiscalização de contratos com Consórcio Nordeste

O deputado Coronel Azevedo (PSC) cobrou nesta terça-feira (16), durante sessão plenária remota da Assembleia Legislativa, a apuração e fiscalização da atuação do Consórcio Nordeste na efetivação de contratos, sobretudo no que trata sobre a aquisição de respiradores pulmonares para o Rio Grande do Norte, ocasião em que questionou a não entrega dos equipamentos ao Governo do Estado e a não devolução dos recursos.

“É urgente que os órgãos de fiscalização atuem e investiguem esse Consórcio. O conselheiro do Tribunal de Contas, Gilberto Jales, notificou a Secretaria de Saúde do Estado solicitando o envio de informações sobre esse contrato. É preciso que haja uma auditoria. O tal Consórcio, ao que consta em denúncias sérias, tem sido uma verdadeira usina de irregularidades e desperdício de dinheiro público. No caso aqui do Estado, R$ 5 milhões que foram pagos pelos equipamentos que não foram entregues”, disse Coronel Azevedo.

Na oportunidade, Azevedo destacou postagem feita nas redes sociais pelo deputado estadual da Paraíba, Wallber Virgolino. “Surge uma nova denúncia feita por ele, revelando que o Consórcio paga altos salários acima dos R$ 15 mil, um deboche aos servidores públicos estaduais com salários achatados e atrasados. Restam as dúvidas: quanto custa esse Consórcio para o nosso pobre estado? Como é feita a prestação de contas?”, questionou o parlamentar.

Ao final do pronunciamento, o deputado solicitou à presidência da Assembleia Legislativa a prioridade na promulgação do projeto de lei de sua autoria que estabelece a suspensão temporária do pagamento de consignados por parte dos servidores públicos estaduais. “Trata-se de uma importante medida para esse momento que enfrentamos e que já está em prática em outros Estados”, concluiu.