Encenação sobre Mártires de Cunhaú e Uruaçu abre celebrações aos santos potiguares

Um grande espetáculo ao vivo que reconta a saga dos heróis martirizados agora elevados à condição de santos. Esse é o resumo da “Cantata dos Santos Potiguares”. Os detalhes do espetáculo foram a presentados ao governador Robinson Faria, à imprensa, autoridades e convidados na manhã desta segunda-feira (2), no Restaurante Mangai.

Com investimento na ordem dos R$ 255 mil através do Governo Cidadão, a peça abre as celebrações aos novos santos brasileiros e é uma ação do Governo do Estado, por meio da Fundação José Augusto, do Grupo de Trabalho das Celebrações alusivas à santificação, da Arquidiocese de Natal, e da Prefeitura de São Gonçalo do Amarante.

Com atenção para o turismo religioso, o governador anunciou ainda que após a celebração de canonização em Roma, no próximo dia 15, já está prevista uma reunião com os representantes da Tap Portugal e a Agência Abreu, uma das maiores operadoras de Turismo da Europa, para iniciar as tratativas em busca de parcerias.

Representante da Arquidiocese, Padre Murilo ressaltou que a Cantata une arte e religião com reflexos positivos para Igreja e governo. “A Cantata vai possibilitar levar adiante a devoção aos Santos Mártires do ponto de vista da Igreja e do ponto de vista do governo, vai criar um roteiro de turismo religioso”, pontuou.

Com projeção mapeada e a presença do Coral Canto do Povo, que participou da Cerimônia de Beatificação dos Mártires em 2000, a “Cantata dos Santos Potiguares” será apresentada ao público no Santuário dos Mártires de São Gonçalo do Amarante durante um período já de muita movimentação na cidade. “Estamos vivendo o melhor momento da história da nossa cidade e acredito que só tende a melhorar após a canonização”, contou o prefeito de São Gonçalo do Amarante, Paulinho Emídio. Segundo o gestor, 600 milhões de pessoas no mundo procuram pelo turismo religioso. No Brasil a média é de 18 milhões.

As apresentações em São Gonçalo do Amarante acontecem nos dias 26 e 27 de outubro às 19h30; no dia 28 de outubro às 17h; e no dia 29 de outubro às 19h. O auto une arte, cidadania e religiosidade e marca a histórica Canonização dos Mártires de Cunhaú e Uruaçu. O espetáculo é assinado por uma renomada equipe de artistas e técnicos que inclui a diretora Diana Fontes, e o músico Danilo Guanais, que teve o seu madrigal mais famoso, “A Missa de Alcaçuz”, executado no Carnegie Hall, em Nova York, este ano.

HISTÓRIA

Conhecidos como “os mártires de Cunhaú e Uruaçu”, os Padres André de Soveral e Ambrósio Francisco Ferro, o leigo Mateus Moreira e mais 27 foram martirizados em 1645 em decorrência das invasões holandesas no Brasil e no Rio Grande do Norte. Mais de 80 fiéis da Igreja Católica foram mortos.
Em reconhecimento ao feito dos Mártires de Uruaçu, em junho de 1989 o processo de beatificação foi concedido pela Santa Sé. No ano de 1998 o papa João II assinou o decreto reconhecendo o martírio de 30 religiosos brasileiros, enquanto que a beatificação aconteceu em março de 2000, na Praça de São Pedro, no Vaticano. No próximo dia 15, os martirizados serão consagrados santos pelo Papa Francisco.