Militares no poder?

Do Novo Jornal

Desde a publicação das delações dos empresários da JBS, circula nas redes sociais diversos boatos. Os mais recentes ganharam força após encontro do presidente Michel Temer ontem (19) com o ministro da Defesa, Raul Jungmann, e os comandantes das Forças Armadas para discutir “a conjuntura atual”.

Porém, no encontro, que durou cerca de 1 hora e meia, falou-se do Exército, Marinha e Aeronáutica no contexto constitucional. O encontro com Jungmann estava marcado para a parte da manhã na agenda de Temer, mas foi remarcada para às 17h. De manhã, Temer recebeu no Palácio do Jaburu a visita do advogado Antonio Cláudio Mariz, seu amigo pessoal.

Em nota divulgada pelo Centro de Comunicação Social do Exército, o general Villas Bôas, Comandante do Exércio, disse que “a atuação da Força Terrestre tem por base os pilares da estabilidade, legalidade e legitimidade”. “Convocados pelo ministro da Defesa, os três comandantes de Força compareceram a uma audiência com o presidente da República, em que foi discutida a conjuntura atual. No encontro foi destacada a unidade de pensamento das Forças e a subordinação perene aos ditames constitucionais. O general Villas Bôas, Comandante do Exército, reafirma que a atuação da Força Terrestre tem por base os pilares da estabilidade, legalidade e legitimidade”, diz a nota. Ou seja, não há nenhuma afirmação do general confirmando que a intervenção no caos político tornou-se consenso entre os militares do exército, marinha e da aeronáutica, como circula nas redes sociais.

Outro boato é sobre um áudio atribuído ao senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) tem circulado no WhatsApp dizendo que a ministra Carmen Lúcia do Supremo Tribunal Federal (STF) chamaria as Forças Armadas, fecharia o Congresso e convocaria eleições diretas. Mas, o próprio senador publicou fez uma transmissão ao vivo na sua página do Facebook explicando que o áudio é falso.