MPRN intima CAERN para esclarecer falta de água em Santa Cruz e deputado disponibiliza redes sociais para população denunciar descaso

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) está intimando à Companhia de Água e Esgotos do RN (Caern) a esclarecer os motivos dos constantes casos de falta de água na cidade de Santa Cruz, segundo informação passada ao órgão ministerial pelo Serviço Autônomo de Água e Esgotos (SAAE), autarquia municipal que explora os serviços de água e esgoto daquele município.

De acordo com o despacho do MPRN, assinado pelo promotor Ricardo José da Costa Lima, a população “vem sendo surpreendida mês a mês com a redução no fornecimento de água” pela CAERN, prejudicando o abastecimento local.

O despacho enfatiza ainda que nos últimos dez anos, Santa Cruz saltou de 34.769 (estimativa IBGE 2008) para 39.555 habitantes (estimativa IBGE 2018), ultrapassando, atualmente, a marca de 40.000 munícipes, fora a população flutuante.

No entanto, apesar do acréscimo populacional e do consequente aumento da demanda, o SAAE informa que a vazão recebida pelo município vem sofrendo progressiva diminuição, contabilizando-se uma redução de 10% no volume de água recebido ao longo dos últimos dez anos.

O despacho ressalta ainda que nos últimos dias a CAERN, sem qualquer explicação aceitável, reduziu a vazão de 206,47 m3/h para apenas 125 m3/h, “o que mal dá para fazer funcionar uma única bomba, tornando o abastecimento da cidade um verdadeiro caos”.

DESCASO

O descaso da CAERN com o abastecimento de água da cidade de Santa Cruz e de outros municípios da região do Trairi vem sendo ostensivamente denunciado pelo deputado estadual Tomba Farias (PSDB) na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. Na última quinta-feira, dia 1º, o parlamentar municipalista chegou a disponibilizar suas redes sociais para que a população possa denunciar situações de falta de água geradas pela CAERN.

“Nunca vi uma adutora quebrar tanto, principalmente quando chega o período eleitoral. Além da falta d’água, a Caern não informa que vai paralisar os serviços para fazer os reparos. O problema é constante e a culpa vem sendo jogada sobre os gestores municipais. Isso é um absurdo. Vou entrar com uma representação contra a Caern e chamar a atenção do Ministério Público”, disse Tomba.