Péricles Rocha diz ser vítima de “injustiça” da Justiça Eleitoral

O trocadilho é infame, mas não custa nada usar para indicar o sentimento do ex-prefeito e ex-candidato na eleição suplementar 2019, em Santa Cruz. Péricles Rocha comentou sobre a condenação, ainda em primeira instância, por parte dele e do seu vice na chapa, Paulo César Beju.

Péricles considera que foi um ato alheio ao seu conhecimento. “A população achou por bem colocar uns cartazes nos postes, no bairro do Paraíso. Eu soube por um blog que noticiou isso lá. Ao ser notificado pela Justiça, eu mandei meu pessoal para retirar, mesmo sem ter culpa de nada e sem saber quem tava colocando isso”, explicou.

Quebrando o silêncio após as eleições municipais, suplementares, Péricles ainda comentou: “A Justiça me condena por uma coisa que eu não participei. Me condenada solidariamente. Solidariamente a que? Não fui solidário a nada disso”.

“Mas o que nos cabe é recorrer e aguardar o julgamento. Eu acho que neste caso, a Justiça está sendo injusta comigo”, finalizou.

ENTENDA O CASO

No dia 31 de janeiro, às vésperas da eleição suplementar, o bairro do Paraíso amanheceu com dezenas de cartazes espalhados pelos postes da localidade com a frase: “Paraíso! Valoriza o que é teu”. A coligação de Ivanildinho e Glauther entenderam essas mensagens como uma campanha irregular para favorecer a chapa da oposição, sendo o candidato a vice do referido bairro.

A polêmica foi parar na Justiça Eleitoral, que determinou a retirada dos cartazes e ainda considerou o material como propaganda eleitoral irregular.