Rocha Loures é preso em Brasília e defesa nega delação

Imagens TV Globo

Texto de Andreza Rossini/Paraná Portal

O ex-deputado paranaense Rodrigo Rocha Loures foi preso pela Polícia Federal na manhã deste sábado (3), em Brasília, por determinação do ministro Edson Fachin, do relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).

O ex-deputado está na Superintendência Regional da PF, no Distrito Federal e, até o momento, não há previsão de transferência.

Loures foi filmado recebendo uma malta com R$ 500 mil. Ele é ex-assessor do presidente Michel Temer (PMDB).

O advogado Cesar Roberto Bittencourt, que segue a Brasília, negou acordo de delação premiada. “Ele está sereno, está tranquilo, vai ficar em silêncio, não vai delatar”, afirmou à rádio BandNews Curitiba.

Na segunda-feira (3) a defesa afirmou que vai entrar com recurso contra a prisão, considerada “desnecessária” pelo advogado.

Em recurso apresentado na noite da última quinta-feira, Janot afirmou que a prisão de Loures é “imprescindível para a garantia da ordem pública e da instrução criminal”. O procurador justifica que há no inquérito aberto pelo Supremo escutas telefônicas e outras provas que demonstram que Loures atuou para obstruir as investigações da Operação Lava Jato.

Loures perdeu o cargo de deputado federal nesta semana, após o retorno de Osmar Serraglio à Câmara. Ele foi exonerado do Ministério da Justiça.

Investigações

Rodrigo Rocha Loures foi filmado pela Polícia Federal recebendo uma mala com R$ 500 mil na Operação Patmos, investigação baseada na delação premiada da JBS. o ex-deputado não foi preso em flagrante porque a PF e o Ministério Público Federal optaram por realizar uma ação controlada, em que abrem mão do flagrante para tentar descobrir outros participantes da conduta criminosa.

A Procuradoria-Geral da República havia feito, no dia 18 de maio, um pedido de prisão preventiva de Rocha Loures quando ele era deputado federal. No mesmo dia, Fachin negou o pedido, mas afastou o parlamentar do cargo, mantendo suas prerrogativas, como o foro privilegiado.