Santuário do Lima

Governo firma parceria para recuperar estrada para o Santuário do Lima e instalar fábricas

O acesso a um dos principais pontos de visitação religiosa e exercício de fé, o Santuário Nossa Senhora dos Impossíveis, mais conhecido como Santuário do Lima, na cidade de Patu, na região Oeste, vai ganhar recapeamento asfáltico através de um convênio firmado pelo Governo do RN com a prefeitura.

O Santuário do Lima recebe em média cem mil visitantes por ano. A estrada de acesso precisa de conservação em 2,6 quilômetros. O valor estimado da obra é de R$ 1,8 milhão e a previsão de conclusão é para março de 2022.

RECONHECIMENTO POR LEI

Por proposição da deputada estadual Isolda Dantas, tramita na Assembleia Legislativa projeto de Lei reconhecendo como Patrimônio Imaterial, Histórico, Cultural, Paisagístico, Turístico e Religioso do Estado o Santuário de Nossa Senhora dos Impossíveis. A proposta foi relatada pelo deputado Albert Dickson (PROS), que emitiu parecer favorável e aguarda votação em plenário.

INSTALAÇÃO DE FÁBRICAS

Em mais uma ação de parceria, Governo e município assinaram protocolo de intenções para instalação de três fábricas em Patu. A primeira será uma fábrica de bonés que vai gerar 80 empregos. As outras serão uma fábrica para confecção de lençóis e uma oficina de costura. Os três empreendimentos juntos deverão gerar 300 empregos.


senhoritta

Comissão aprova Santuário do Lima como patrimônio turístico e religioso do RN

A Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia, Desenvolvimento Socioeconômico, Meio Ambiente e Turismo aprovou, na tarde desta terça-feira (15), um projeto de lei da deputada Isolda Dantas (PT) que reconhece como Patrimônio Imaterial, Histórico, Cultural, Paisagístico, Turístico e Religioso do Estado o Santuário Nossa Senhora dos Impossíveis, conhecido como Santuário do Lima, localizado no Município de Patú. A proposta foi relatada pelo deputado Albert Dickson (PROS), que deu o parecer favorável.

Denominado “Santuário de Nossa Senhora dos Impossíveis”, o local remonta ao ano de 1758, ano em que chegou diretamente de Portugal uma escultura da imagem que dá nome ao local. A partir de então, houve doação de uma légua de terras junto ao município de Patú para a construção do do santuário, que posteriormente teve repassadas a capela e área de terra à administração da Diocese de Natal.

Com o passar dos anos, a Diocese e a gestão do local realizaram diversas obras para a melhoria na infraestrutura local, como a construção da Casa dos Romeiros e uma estrada com vistas à facilitação de acesso e hospedagem aos peregrinos. Desde 1966, o santuário já tem essa estrutura

Na justificativa, a deputada Isolda Dantas enalteceu a importância do Santuário, que ocupa posição privilegiada no turismo religioso estadual e foi eleito pelo voto popular como uma das sete maravilhas do Rio Grande do Norte, recebendo diversas romarias durante todo o ano, como símbolo da religiosidade popular e da fé do povo, com destaque para a romaria da juventude nos meses de outubro e a festa de Nossa Senhora dos Impossíveis em novembro.

“É uma das sete maravilhas por, dentre outras, sua localização privilegiada na chamada Serra do Lima, a antiga Serra de Patú, que guarda uma beleza natural encantadora do nosso RN”, justificou Isolda Dantas.

No relatório, Albert Dickson aprovou o mérito da proposta e teve o parecer seguido pelos deputados Francisco do PT, Jacó Jácome (PSD) e Coronel Azevedo (PSC).


contex