Pular para o conteúdo

Josemar Bezerra

União Brasil fica com Josemar e Júnior Bezerra

O partido do União Brasil, ficou sob o comando do vereador Josemar Bezerra, sendo o presidente da legenda o empresário Júnior Bezerra. A composição ainda têm pessoas ligadas ao grupo do vereador, formando assim uma comissão provisória, que foi instalada em 03 de abril deste ano.

Josemar passou a apoiar a pré-candidatura de Fernanda Costa (PL), e permaneceu no Partido Liberal, o PL, a mesma legend da pré-candidata a prefeita.

“O União Brasil fica na base de Fernanda, e apoia a sua pré-candidatura”, declarou o vereador.

Vereador Josemar Bezerra solicita reforma do Ginásio do Bonsucesso, em reunião com o secretário Jaedson

Já integrado ao grupo governista, o vereador Josemar Bezerra (PL) buscou a gestão para encaminhar pedidos da comunidade. Nesta quarta-feira (10), em reunião com o secretário de esportes, Jackson Jaedson, o vereador trouxe um importante pedido do Bonsucesso.

“Em pauta está a reforma do ginásio de esporte Isabel Ferreira Bezerra, na comunidade Bonsucesso. Logo, logo, assim que haja um período sem chuvas, a secretaria irá começar a reforma do ginásio de esporte”, disse o vereador Josemar.

Josemar tem procurado conversar com os auxiliares da gestão para encaminhar pedidos da sua comunidade. O vereador também esteve reunido com o Prefeito Ivanildinho, nesta terça-feira (09), e apresentou algumas demandas.

Base governista de Ivanildinho cresce na Câmara Municipal

Em 2020, a base governista de Ivanildinho na Câmara começou com dez vereadores, sendo oito do PDSB e dois do PSB.

Após a janela partidária de 2024, o PSB foi esvaziado, o PL saiu de dois para dez vereadores, e concentra toda a base política de Ivanildinho e Tomba no legislativo.

Com Fábio Dias, Nayara Fonseca, Talita Marielle, Erivan Justino, Rodolfo Bezerril, Tarcísio das Horteiras, Zuleide Guilherme, Beto da Saúde e agora com com Josemar Bezerra e Marco Celito, a base volta a seu tamanho original do início da legislatura, com dez vereadores.

A mudança no time político, em relação a janeiro de 2021, foi a saída do vereador Élcio Pontes, e agora a chegada de Josemar Bezerra.

Josemar defende união por Péricles e Élcio, mas diz que política sempre têm mudanças

O vereador Josemar Bezerra falou ao blog sobre os últimos fatos da política santa-cruzense. Para o vereador, o nome de Aninha de Cleide, já sugerido pelo vereador Élcio Pontes semanas atrás no blog, é excelente e agrega muito, mas oferece risco.

“O nosso jurídico entende que nem Fernanda e nem Aninha podem ser candidatas. Para os juristas, essas candidaturas são um risco, e nós não devemos correr riscos. Eu, particularmente, defendo os nomes de Péricles e Élcio”, declarou Josemar.

Perguntado se podem ocorrer mudanças, Josemar disse que “tudo é possível”. “Olha, na política pode acontecer tudo. Tudo é possível. Podem ter mudanças sim, principalmente porque estamos longe ainda das eleições, mas eu defendo que sigamos com as pré-candidaturas de Péricles e de Élcio. Sãos os melhores nomes, e eu defendo uma união do grupo nesse sentido”, finalizou.

PSD ganha espaço na oposição de Santa Cruz

A oposição de Santa Cruz teve uma reunião na sexta-feira (15) com Zenaide Maia e Jaime Calado. O encontro assegurou o PSD na oposição, que poderá indicar o nome a vice da pré-candidatura de Péricles Rocha. O ex-prefeito já está filiado ao MDB de Walter Alves.

O encontro da oposição com o PSD abre espaço para mais um partido, que tem ainda o MDB, além da federação PT, PCdoB e PV.

O grupo de vereadores e pré-candidatos a vereadores da oposição poderão formar um grupo para o PSD, ainda a possibilidade do pré-candidato a vice ser também da mesma legenda.

A senadora Zenaide Maia também confirmou apoio ao nome do ex-prefeito Péricles Rocha (PSD), como já fez em outras eleições municipais.

Além do ex-prefeito, participaram da reunião os vereadores Josemar Bezerra, de saída do PL, Marco Celito, de saída do PSDB e Élcio Pontes, cotado para vice na chapa de Péricles, também de saída do PSDB.

Empresário Marcílio Pontes recebe moção de aplausos da Câmara Municipal

O empresário Marcílio Pontes, proprietário da Emprotec Construções, recebeu uma moção de aplausos da Câmara Municipal de Santa Cruz, de autoria do vereador Josemar Bezerra.

São mais de 30 anos gerando empregos e renda no município de Santa Cruz e região, além de grandes obras e serviços prestados.

A sessão solene de entrega das honrarias foi realizada na última segunda-feira (18), no auditório do IFRN Santa Cruz.

Vereador Élcio Pontes ainda não “bateu o martelo”

A foto dos líderes da oposição ao lado do vice-governador Walter Alves (MDB) abriu um novo capítulo do “partido bacurau” em Santa Cruz, que já “dançou” por todos os grupos da cidade. Na imagem, os vereadores de mandato, como Élcio Pontes, Marco Celito, Paulo César Beju e Josemar Bezerra.

Élcio Pontes e Marco Celito foram eleitos no bloco governista de Ivanildinho e Tomba, mas o relacionamento político atual não é tão bom. Marco Celito está rompido com o grupo governista desde o final de sua presidência na Câmara Municipal. Já Élcio Pontes se declara independente, mas tem feito discursos fortes com a administração municipal.

Ao conversar com o vereador Élcio, o Blog perguntou se o vereador teria endereço partidário no MDB, para as eleições 2024. “Minha definição mesmo só em março, quando baterei o martelo. Aí depois que eu bater [martelo], estará batido, e Deus, como sempre, tomará de conta”, declarou o parlamentar.

Atualmente, a Câmara Municipal tem o seguinte cenário:

Fábio Dias, Rodolfo Bezerril, Erivan Justino, Tarcísio das Horteiras, Zuleide Guilherme, Nayara Fonseca, Talita Mariele e Beto da Saúde pelo bloco governistas, somando 8 vereadores. Paulo César Beju, Josemar Bezerra, Marco Celito e Lucicláudio Bezerra formam a oposição, com 4 membros. Élcio se declara independente, com votos oscilando entre governo e oposição.

Péricles Rocha se filiou ao MDB

A pré-campanha em Santa Cruz já tem a largada com as definições dos partidos dos pré-candidatos para 2024.

O ex-prefeito de Santa Cruz, Péricles Rocha, ao lado dos vereadores Élcio Pontes (PSDB), Paulo César Beiju (PL), Josemar Bezerra (PL) e Marco Celito (PSDB), confirmou o seu ingresso no partido bacurau.

A filiação aconteceu na tarde desta quarta-feira (25), em Natal, com a presença e bênção do vice-governador Walter Alves.

Vereadores de Santa Cruz aprovam novo formato de seleção de gestores escolares

Em regime de urgência urgentíssima, conforme encaminhado para as comissões na última terça-feira (26), a Câmara Municipal aprovou o novo modelo de seleção de gestores e diretores de unidades escolares da rede pública municipal de ensino de Santa Cruz. A sessão extraordinária foi realizada na manhã desta quinta-feira (28), às 11h, posterior a reunião das comissões, que deram parecer favorável pela aprovação integral do projeto de lei, de autoria do executivo.

O líder do governo, o vereador Erivan Justino (PSDB), apreciou a matéria e destacou a importância dela, que nada mais obedece às diretrizes do Governo Federal, estabelecidas pela Resolução nº 001, de 28 de julho de 2023, do Ministério da Educação (MEC), e referendado pela Lei Federal nº 14.113, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica, o FUNDEB. “Não se trata do fim da gestão democrática, o processo ficará ainda mais amplo com a nova medida, que muda o processo eleitoral para um processo seletivo qualificado, com uma série de requisitos para ser diretor e vice-diretor de uma escola”, destacou o vereador.

Já o vereador Josemar Bezerra, líder da minoria na casa, se opôs ao projeto, destacando uma luta sua em outras legislaturas. “Repudio e desaprovo a tramitação desse projeto. Nós lutamos por muito tempo para implantar a gestão democrática nas escolas, pondo fim ao processo de indicação do executivo. Não queremos a volta desse modelo”, disse.

A base governista defende que não existe o fim do processo democrático, mas que será uma forma de seleção muito semelhante aos concursos públicos para servidores efetivos.

O projeto de lei complementar 007/2023, de autoria do executivo, aprovado nesta quinta, estabelece que os processo de escolha dos novos gestores será através de edital, exigindo do candidato a formação em Pedagogia, ou pós-graduação na área de gestão escolar, e cursos reconhecidos pelo MEC, além de ter tido experiência na área da educação com período mínimo de 2 (dois) anos. Podem participar do processo seletivo funcionários efetivos ou temporários.

Também será realizada um exame de caráter eliminatório, com prova de conhecimento específico, exigindo aproveitamento de 80%. Mesmo aprovado após esse longo processo, os gestores serão avaliados por 12 meses após início do mandato, e deverão atender aos critérios de desempenho da gestão escolar, e caso não consigam, serão substituídos por outros candidatos conforme estabelecido em edital.
O mandato será válido por 3 (três) anos, e pode haver recondução do mandato, conforme regras da legislação e edital.

Vereadores fazem entrega de título de cidadão santa-cruzense a Dom Jaime Vieira Rocha

 

O administrador apostólico da Arquidiocese de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha, recebeu nesta segunda-feira (18), o título de cidadão santa-cruzense, aprovado pela Câmara Municipal de Santa Cruz, neste ano de 2023. A proposição foi feita pelo presidente da casa legislativa, o vereador Fábio Dias, também assinada pelo vereador Erivan Justino, em coautoria.

A entrega do título aconteceu durante a Missa em Ação de Graças pela inauguração e bênção da Igreja de Santa Luzia, na comunidade Quixabeira, no bairro Paraíso. Estiveram presentes os vereadores Fábio Dias (PSDB), Erivan Justino (PSDB) e Josemar Bezerra (PL), que fizeram a entrega simbólica ao arcebispo.

“É com muita alegria, que o Poder Legislativo, Dom Jaime, estamos lhe concedendo esta honraria, pelos serviços prestado a nossa comunidade, e pelo carinho que o senhor tem pela nossa terra”, disse o presidente Fábio, no ato da entrega o título.

Além da bênção da Igreja, Dom Jaime e as autoridades municipais prestigiaram a entrega do Centro Pastoral Josefa Dantas, Dona Dedefa, que homenageia a doadora do terreno em que foi construída o templo religioso.

Josemar critica Fábio e diz que está pronto para dialogar com a gestão para solucionar o problema da água

Foto: André Fotos

O vereador Josemar Bezerra (PL) falou sobre as polêmicas da sessão especial, que abriu a Ano Legislativo de 2023. Logo de cara, Josemar se desentendeu com o presidente Fábio Dias (PSDB), durante o discurso de Tomba Farias (PSDB), antes da leitura do Prefeito Ivanildinho (PSDB).

“A sessão de ontem foi histórica, em todos os sentidos. Primeiro pela participação popular, uma mobilização que surgiu do povo sem nenhuma conotação política, o povo reivindicando um direito universal, água. Foi um protesto ordeiro e pacífico, onde a população deu uma aula de cidadania. Já o presidente pintou e bordou com o poder legislativo, rasgou o regimento, facultou a palavra ao deputado e denegou a um membro do poder legislativo. Ainda fez a inversão dos fatos, como sempre não querem ouvir o contraditório, esquece até os preceitos constitucionais que o vereador tem, mas vida que segue”, criticou Josemar.

O vereador da oposição ainda disse que as divergências políticas não impedem de juntos buscarem soluções para o abastecimento. “Não tenho nenhuma divergência pessoal com o Deputado Tomba, muito menos com o presidente Fábio, quando solicitei a concessão da palavra foi justamente para propor uma mesa redonda com a participação da Direção da CAERN, SAAE, comissão de vereadores e o próprio deputado em busca de uma solução, isso é o mínimo que a população espera”, disse.

Clima esquentou entre Fábio Dias e Josemar Bezerra no plenário; Tomba pediu calma

Tomba (PSDB) conhecido pelos discursos quentes e perfil combativo não foi quem enfrentou a maior polêmica da noite. Enquanto discursava o deputado, o vereador Josemar Bezerra (PL) questionava o discurso dele [Tomba] e solicitava a atenção da Presidência da Casa para aquele momento que antecedeu a leitura do Prefeito Ivanildinho.

O deputado teve o discurso interrompido pelo presidente Fábio Dias (PSDB) que repreendeu o colega vereador.

Tomba: “Quando eu terminar o discurso o senhor se inscreve.”

Josemar: [Não teve o áudio liberado da mesa para o plenário e o som ficou inaudível]

Fábio Dias: “Vereador, eu peço que Vossa Excelência se mantenha calma, porque Vossa Excelência tava aconstumado a deitar e rolar com o presidente que tava [Marco Celito], mas agora quem tá presidente sou eu. Se Vossa Excelência não se manter calmo…”

Tomba interrompeu a discussão e pediu calma: “Nós estamos aqui para achar soluções, não estamos aqui para brigar.”

 

CONFIRA VÍDEO:

 

[ENQUETE] Qual vereador santa-cruzense apresentou melhor desempenho em 2022?

Depois da avaliação dos prefeitos do Trairi, o Blog faz a tradicional enquente dos vereadores com melhor desempenho na Câmara Municipal de Santa Cruz.

Na última vez que o blog realizou essa enquete, a Câmara Municipal tinha apenas nove cadeiras, e hoje após alteração são 13 vagas.

A votação segue aberta até a terça-feira, dia 14/02, ao meio-dia.

Eis a lista dos vereadores:

Vereadores questionam formação das comissões na Câmara de Santa Cruz

O blog conversou ontem (05) com alguns vereadores sobre as polêmicas envolvendo a última sessão extraordinária da Câmara Municipal de Santa Cruz. O vereador Lucicláudio Bezerra (PCdoB) disse discordar do procedimento adorado para formar as comissões.

“Questionamos o descumprimento do regimento interno. Propomos a criação de uma comissão permanente, com base no regimento interno, nos artigos 84 e 207. É lamentável a forma como foi conduzido a escolha das comissões, atropelando o regimento interno e o diálogo. Pior ainda é ouvir aberração de alguns colegas dizendo que a oposição quis prejudicar os trâmites para os projetos de lei de autoria do chefe do executivo”, declarou o vereador ao Blog.

Perguntado sobre o mesmo procedimento realizado em 2021, na abertura da legislatura e da presidência de Marco Celito, o vereador Lucicláudio reconheceu o erro da época. “De fato foi um equívoco coletivo, porém permanecer errando não é o caminho, principalmente quando isso fere o regimento interno da casa onde atuamos”, disse.

Lucicláudio falou que essa situação será acompanhada com cautela. “Não quero ser eleito dentro de um processo no qual questiono a legalidade. Seria contradição de minha parte. Veremos os próximos passos de forma correta”, finalizou.

Já o vereador Élcio Pontes (PSDB) afirmou que preferiu não participar das comissões, mas votou favorável às composições, como já apresentamos em matérias anteriores (CLIQUE AQUI E CONFIRA). Ele criticou a condução do processo de formação dessas comissões, pois já foi entregue uma lista fechada para os vereadores em plenário. O que para ele não dava espaços para discutir as composições dessas comissões.

“Eu fiquei sabendo dessa votação das comissões praticamente 24h antes. Então não tinha praticamente nem como a gente ver alguma coisa”, disse ao blog.

Élcio disse que “a sessão foi arbitrária e foi a mesma coisa que rasgar a constituição”, numa referência ao ato da Mesa Diretora de formar as comissões, o que para ele feriu o regimento interno da casa.

Sobre alguma medida futura, o vereador disse que aguardará os fatos, sinalizando que vai esperar o desenrolar nas próximas sessões.

Logo após a sessão, Josemar Bezerra (PL) também conversou com o Blog, e expressou indignação com a sessão, e disse que a Mesa Diretora atropelou o regimento interno.

O Blog não ficou sabendo se alguém irá judicializar a sessão, mas na próxima terça-feira (07) haverá uma nova reunião extraordinária com os vereadores, e os debates devem continuar.

Josemar Bezerra sobre a Mesa Diretora: “Atropelou o regramento da legalidade”

O vereador Josemar Bezerra (PL) falou ao blog sobre a sessão extraordinária desta sexta-feira (03). Para o vereador, o presidente da casa atropelou o regimento. “Nossa avaliação é infelizmente negativa. O regimento da Câmara é que dá o norte legal para a condução e a garantia da legalidade dos trabalhos legislativo. O presidente que deveria ser o guardião do cumprimento efetivo do regimento, cometeu erros grotescos e atropelou o regramento da legalidade da sessão de hoje”, disse ao blog.

O vereador disse que foi contra a formação das comissões, e não contra o piso do Magistério. “Deixando claro que todos os vereadores são favoráveis aos projetos que institui o reajuste dos profissionais da educação, como também o reajuste do novo salário mínimo. O regimento prevê a formação de comissão especial para ofertar parecer, o que não poderia acontecer era a eleição para membros das comissões permanentes ser realizada em uma sessão extraordinária, o Art. 86 do regimento interno e o $3 é claro”, argumentou.

O blog então apresentou um fato ao vereador, em 2021, as comissões foram formadas também em uma sessão extraordinária, mas Josemar relevou a situação da época e justificou: “Em 2021, foi ponto pacífico, houve entendimento entre todos os vereadores. Agora foi apresentada as comissões já formadas, sem nenhuma conversa com os vereadores. Todo processo de eleição deve ser pelo meio democrático, não com imposição, além de atropelar as vias legais”.

Josemar se absteve de votar na apreciação do plenário sobre se deveriam formar ou não as comissões, no entanto ele ficou inscrito na comissão de saúde. Mesmo assim ele disse que a sessão atropelou o regimento. “O jurídico e a Mesa precisam estudar o regimento interno, eles desconhecem. Ninguém é contra a nenhuma formação das comissões, o que foi discutido é a legalidade do processo de escolha”, finalizou.

Primeira sessão do ano legislativo de Santa Cruz é marcada por polêmica

Você achava que a série de polêmicas do legislativo de Santa Cruz ficou em 2022?

Não ficou mesmo!

Depois da última sessão ser marcada por vereadores deixando o plenário, o ano legislativo de 2023 começou quase nesse ritmo.

O que aconteceu? Vamos aos fatos.

O prefeito Ivanildinho enviou para a Câmara Municipal três projetos importantes: o reajuste do Piso do Magistério, o novo Salário Mínimo e um projeto de lei complementar. Mas para um projeto ser votado ele precisa seguir um rito de tramitação.

Tudo começa nas comissões e depois do parecer desses vereadores, o projeto segue para votação no plenário. No entanto, a cada biênio, quando muda a mesa diretora e a gestão na casa legislativa, as comissões também são reorganizadas.

Para os projetos do executivo municipal de Santa Cruz seguirem sua tramitação, as comissões precisavam de formalização. Foi essa a proposta da Mesa Diretora, no entanto os vereadores da oposição não acataram o acordo, pois justificaram que comissões não podem ser formalizadas em sessões extraordinárias, apenas na primeira sessão ordinária do 1º e 3º ano legislativo, situação prevista no artigo 86º, parágrafo 3º, do regimento interno.

Sem concordância, e levando em consideração a urgência de aprovação do reajuste do piso do Magistério, além dos outros projetos, o presidente Fábio Dias (PSDB) colocou essa decisão para o plenário, que aprovou pelo placar de 9 votos favoráveis, 2 votos contra e 3 abstenções, pois a sessão contou com a presença de todos os vereadores.

Os vereadores Lucicláudio Bezerra (PCdoB), Paulo Cesar Beju (PL), Josemar Bezerra (PL), Élcio Pontes (PSDB) e Marco Celito (PSDB) se opuseram a proposta da formação das comissões. Os vereadores também não aceitaram participar das comissões, com exceção de Josemar Bezerra, que seu nome ficou na Comissão de Saúde.

O vereador Élcio Pontes foi contra a proposta, mas votou favorável a todas as composições das comissões, retirando seu nome da proposta que a mesa diretora apresentou.

A oposição ainda argumentou que poderá questionar a validade das decisões tomadas na sessão. Mas o blog foi investigar se essas situações já aconteceram em outros biênios.

De acordo com a Mesa Diretora, a urgência se deu pela aprovação do novo Piso do Magistério, junto com o retroativo de janeiro, para que seja pago ainda nesta folha do mês de fevereiro.

Resumindo… Comissões formalizadas, com muita polêmica e os projetos seguem tramitação até segunda ordem.

Matéria atualizada às 15h28

Mesa Diretora confirma que votação do título de cidadão de Rogério Marinho foi regular

O blog conversou com alguns vereadores para compreender porque não houve uma articulação da votação dos títulos de cidadão santa-cruzense. A Mesa Diretora trouxe dados oficiais da tramitação. A votação na sessão ordinária do dia 1º de novembro foi cancelada, pois o quórum não era qualificado para votar as matérias sobre os títulos de cidadão. Inclusive, na ata da sessão aparece o registro dessa votação.

Tivemos acesso a ata da sessão do dia 1º de novembro, que mostra como foi o processo de votação no plenário. Entre os decretos legislativos (títulos de cidadão) 31 e 34 não houve nenhuma abstenção ou voto contrário. Mas a partir do 35, que se refere ao título do senador eleito Rogério Marinho, as coisas mudam, pois o vereador Lucicláudio Bezerra (PCdoB) se manisfesta contrário.

Após verificar o erro, a Mesa Diretora da Câmara Municipal anulou a votação e colocou os projetos para votação em outra sessão que apresentasse quórum qualificado, ou seja, mais de 9 vereadores, o que aconteceu na última terça-feira (08). No entanto, os votos de Josemar Bezerra (PL) e Lucicláudio Bezerra (PCdoB) impediram do título ser aprovado.

O Blog conversou com o presidente Marco Celito (PSDB), que reforçou esse processo de anulação da votação do dia 1º de novembro, e da validade da votação da sessão do dia 08 de novembro. “Nós respeitamos as escolhas de cada vereador, pois cada um vota conforme sua consciência. Mas a votação era válida, pois na sessão anterior foi revogada. Lamentamos todo o ocorrido, mas os vereadores são independentes quanto as suas escolhas”, disse o presidente.

O vereador Erivan Justino, que presidiu a sessão da última terça-feira (08), falou que seguiu toda a tramitação exigida pelo regimento.

Para Erivan, a votação seguiu o mesmo critérios de todas as outras, e no caso específico dos decretos dos títulos de cidadão, foi observada a orientação do Controlador, sobre o quantitativo de votos. “Não tem sentido uma matéria entrar para votação se ela já está vencida ou invalidada. Por isso que a votação do dia 1º/11 foi cancelada e uma nova votação foi realizada no dia 8/11. Cada vereador votou conforme sua própria vontade, e quórum era suficiente”, explicou o vereador que presidiu a sessão.

De acordo com outros vereadores que conversaram com o blog, foi estranho o voto de Josemar Bezerra apenas para o projeto 35, do título de cidadão, pois o mesmo se absteve desse e dos demais não.

A Câmara trouxe luz aos fatos, mas a polêmica segue!

Josemar Bezerra explica sua abstenção com o título de cidadão de Rogério Marinho

A repercussão da não aprovação do título de cidadão santa-cruzense do senador eleito Rogério Marinho pela classe política é comentada em todo o RN.

Quando um político de liderança estadual teve um título rejeitado por uma câmara municipal? Talvez nunca ou raramente. Mas Santa Cruz conseguiu esse feito.

O vereador Josemar Bezerra (PL), do mesmo partido do senador eleito explicou detalhes dessa votação, que começou na sessão do dia 1º de novembro. Numa sessão com o quórum de 8 vereadores, um a mais do que necessário para aprovar leis e indicações.

No entanto, o novo regimento da Câmara Municipal qualifica que votação de títulos de cidadão necessita de 2/3 do total de vereadores, e não dos presentes na sessão. Isso implica em ter 9 votos favoráveis para qualquer título de cidadão ser aprovado.

Josemar explica que votou a favor do título de Rogério. “Na outra sessão [01/11], eu votei favorável ao título de Rogério Marinho, que foi em quem eu votei para Senador. Ele foi meu candidato, eu sou aliado do Rogério. Mas o título foi rejeitado pelo plenário, porque quem fez a indicação do título nem na Câmara Municipal foi. Se o próprio autor não foi para a sessão para qualificar a votação fica muito difícil”, argumentou o vereador, que disse seguir uma coerência na segunda votação.

“Como a matéria já tinha sido rejeitada na sessão anterior, eu decidi pela abstenção para não complicar mais ainda a votação, pois a mesma já estava nula desde o dia 1º de novembro, quando ocorreu a primeira votação”, disse.

ERROS REGIMENTAIS

O vereador criticou algumas conduções dos trabalhos do legislativo municipal, como a votação de matérias sem a presença do autor da mesma.

“Eu já insisti bastante nessa situação. Não podemos votar matérias sem a presença do autor, isso gera problemas como foi com esse título de Rogério. Mas a culpa é da mesa, que insistiu em colocar uma matéria que já estava nula. Eu avisei ao presidente que o título tinha sido rejeitado na sessão anterior, mas não me ouviram. Olhe o desgaste que a Câmara está passando perante a classe política do RN”, disse.

Ele criticou que o autor da indicação do título, o vereador Rodolfo Bezerril não estava presente na primeira tentativa de votação. “Esse título não deveria ter sido colocado na pauta da outra sessão. Tinha apenas 8 vereadores, não já passar e foi rejeitado por 6 votos favoráveis, e o meu incluído, contra 2 votos rejeitando o título. Nem mesmo o autor da proposta esteve presente. Ele quem deveria ter ido para qualificar a votação ou ter pedido para retirá-la de pauta. A mesa deveria ter visto isso e não ter incluído na ordem do dia”, explicou.

Para Josemar, o regimento precisa corrigir isso. “Só precisa de maioria qualificada quando for emenda à Lei Orgânica, aprovação de contas ou alguma outra matéria de grande relevância para o município. Votação de títulos de cidadão poderia ter aprovação com maioria simples dos presentes da sessão. É um erro que precisa ser corrigido no regimento da casa, urgentemente “, alertou o vereador.

ENTENDA A SITUAÇÃO

A Câmara municipal de Santa Cruz votou ontem (08), em sessão ordinária, um decreto legislativo nº 35, com indicação de título de cidadão para o Senador eleito, Rogério Marinho. Dos 10 vereadores presentes, 8 foram favoráveis, sendo: Élcio Pontes (PSDB), Zuleide Guilherme (PSDB), Rizomar Brandão (PSDB), Beto da Saúde (PSB), Tarcísio das Horteiras (PSDB), Erivan Justino (PSDB), Nayara Fonseca (PSDB) e Rodolfo Bezerril (PSB).

Josemar Bezerra (PL) se absteve e Lucicláudio Bezerra (PCdoB) votou contra.

Durante a votação, os vereadores argumentaram que a matéria já tinha sido votada e rejeitada na sessão anterior, dia 01/11.

Naquela sessão, dos 8 presentes, votaram contra Lucicláudio Bezerra (PCdoB) e Paulo Cézar Beju (PL).

De acordo com o regimento interno, uma matéria rejeitada só pode voltar a ser votada no ano legislativo seguinte, ou seja, esse mesmo conteúdo só pode ser apresentado em 2023.

O vereador Josemar afirmou que ele mesmo irá apresentar no início e 2023 essa proposta, que espera contar com apoio do legislativo como desagravo diante dessa “saia justa estadual” que a cidade está passando.

“Rogério fez muito por Santa Cruz, e tem muitos serviços prestados. É justo que ele tenha essa homenagem”, explicou.

Josemar Bezerra apoia Paulinho Freire para deputado federal

O vereador Josemar Bezerra (PL) confirmou o apoio para o presidente da Câmara Municipal de Natal, Paulinho Freire (União Brasil), na sua pré -candidatura a deputado federal.

“Paulinho é vereador como eu, sabe da luta e dificuldades dos vereadores, é parceiro do Deputado Gustavo Carvalho de longas datas, e foi isso nos aproximou”, disse o vereador.

Josemar Bezerra segue apoiando o deputado Gustavo Carvalho, na pré-candidatura de reeleição a deputado estadual. O apoio a Gustavo se repete como em 2014 e 2018, sendo a principal frente de oposição a Tomba Farias, em Santa Cruz.

Empresários divulgam valores dos ingressos da Festa Social de Santa Rita

Os produtores da Festa Social de Santa Rita já divulgaram os valores dos ingressos para pista e área VIP.

Para pista o valor é de R$ 40,00 e área VIP de R$ 60,00, no primeiro lote promocional.

Os locais de venda ainda serão divulgados nós próximos dias.