Alckmin não tem ‘a menor chance’ de ser vice de Lula pelo PSD, diz Kassab

O presidente nacional do PSD e ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, descartou a possibilidade de o ex-governador paulista Geraldo Alckmin (sem partido) se candidatar a vice-presidente por seu partido em chapa encabeçada pelo petista Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições deste ano.

Em entrevista ao Correio Braziliense, Kassab admitiu que sonhava com o ex-governador disputando o governo de SP pelo PSD.

“O Geraldo Alckmin iniciou dizendo que seria candidato a governador, e nós acolhemos a sua candidatura”, afirmou Kassab. “Em um determinado momento, ele nos procurou, desistindo de ser candidato a governador, o que eu entendo. Não existe nenhuma mágoa, nenhuma restrição à conduta.”

Sobre as pretensões nacionais do ex-tucano, Kassab disse ter a impressão de “que é um desejo de alguns, de ambas as partes”. Mas, se depender dele, Alckmin não será o vice de Lula por seu partido.

Questionado pelo Correio se Alckmin “não tem vaga no PSD para ser candidato a vice” de Lula, Kassab respondeu que “a franqueza é muito importante”.

“Nós não vamos deixar uma pessoa do gabarito de Geraldo Alckmin se filiar sonhando com algo que possa não acontecer”, afirmou. “Ele é muito qualificado, mas não vejo a menor chance de ele ser vice do Lula pelo PSD”.

Além do partido de Kassab, Alckmin vem flertando com outras legendas, como PV, Solidariedade e PSB.

E se Alckmin voltar atrás?

Kassab admitiu que, se o ex-governador voltar atrás e “tiver um projeto definido”, ainda poderia aceitá-lo no PSD para disputar o governo de São Paulo, mas fez uma ressalva.

“Se já tivermos candidato a essa altura, fica difícil, mas impossível nunca é”, afirmou. Para disputar o governo do estado, o PSD estuda tanto nomes internos quanto a filiação de políticos de outras legendas.

Pacheco presidente?

Para disputar a Presidência da República, Kassab aposta no presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, recém filiado ao partido. Na pesquisa Ipespe divulgada na sexta-feira (14), o pré-candidato aparece com apenas 1% das intenções de voto.

“Na minha campanha eleitoral para prefeito de São Paulo, no mês de junho eu tinha 3%, e eu ganhei as eleições do Geraldo Alckmin e da Marta Suplicy”, pondera Kassab.

Do portal Uol

Deixe uma resposta


paroquia