Centro Covid restringe exames para sintomáticos pela segurança da população

A busca por assistência médica pode também comprometer a segurança do cidadão. Atenção básica, hospitais ou os centros de atendimento lotados para atender os pacientes também pode ser foco de contaminação.

A enfermeira Sayonara Gomes, responsável pelo Centro Enfrentamento e Combate a COVID-19 de Santa Cruz, ou simplesmente Centro COVID, explicou que novas restrições foram definidas para evitar a contaminação das pessoas no mesmo ambiente em que buscam a solução de suas angústias nesta pandemia do novo coronavírus.

“Os nossos atendimentos eram uma média de 80 pessoas por dia, e nas últimas semanas chegamos a 120 por dia. Nossa equipe é reduzida, com um médico, um enfermeiro e um técnico por plantão, fora toda a estrutura preparada para atendimento todos os dias da semana”, explicou Sayonara.

O Centro COVID foi importante para o sistema de saúde de Santa Cruz, que desde o início da pandemia passou por um reforço de pessoal, equipamentos e infraestrutura. Abertura do Centro de Saúde da Família (Antiga UPA), melhorias no Hospital Municipal, instalação da UTI e o Centro COVID são algumas das ações.

No caso particular do Centro COVID, a unidade é a referência de “porta de entrada” para os casos do novo coronavírus. Qualquer sintoma já é motivo para procurar assistência médica, pois o Centro dispõe de equipe pronta para esse primeiro atendimento.

O centro foi inaugurado em julho, e partir de outubro começou a ampliar a testagem com sorologia. “Desde outubro estamos fazendo a testagem com sorologia, mas vamos precisar mudar a nossa rotina de atendimentos a partir deste mês de janeiro”, disse Sayonara.

“A presença de pessoas sintomáticas e assintomáticas pode representar um risco, pois no mesmo ambiente teremos pessoas contaminadas e outras não contaminadas”, detalhou Sayonara, que ainda considera que o momento são de muitos casos suspeitos sendo confirmados. “A grande maioria dos exames que estamos colhendo estão sendo positivos para Covid. Por isso nosso cuidado em restringir para sintomáticos, no momento”, explicou.

DADOS DE ATENDIMENTOS

O Centro COVID foi inaugurado em 21 de julho, funciona no Ginásio Poliesportivo Marcílio Furtado. Os dados mostram um aumento nos atendimentos próximo do final do ano.

Julho – 687 atendimentos

Agosto – 1.205

Setembro – 559

Outubro – 617

Novembro – 1.288

Dezembro – 2.662

Foram ao todo 7.018 atendimentos realizados no Centro COVID.

Sayonara ainda recomenda que as pessoas não diminuam os cuidados. “É importante que possamos manter os cuidados, distanciamento social, uso da máscara e álcool gel. A pandemia ao acabou, e precisamos continuar essa luta”.

CENTROS COVID

Com a estratégia dos Centros de Atendimento, o Ministério da Saúde busca conter a transmissibilidade do coronavírus ao reduzir a ida de pessoas com sintomas leves aos serviços de urgências ou hospitais, assim atuando na identificação precoce dos casos, com o adequado manejo das pessoas com síndrome gripal (SG) e Covid-19.

A proposta é que o serviço componha o fluxo de cuidado na rede, ou seja, atendendo os casos leves e encaminhando os casos graves para a rede de urgência e emergência ou rede hospitalar.

Além de reduzir a circulação de pessoas com sintomas leves em outros serviços de saúde, a implantação dos Centros de Atendimento busca minimizar os impactos decorrentes da pandemia e permitir que os demais serviços da atenção primária continuem atuando em suas atividades essenciais, como acompanhamento das pessoas com doenças crônicas, pré-natal, imunização, entre outras.

Deixe uma resposta


santa cruz cell