Monsenhor Raimundo é a segunda figura pública a ganhar um busto nas ruas de Santa Cruz

Não é novidade para você amigo leitor encontrar em grandes cidades monumentos dedicados a figuras públicas, sejam políticos, sacerdotes ou até mesmo atores da sociedade local. O monumento mais antigo e conhecido é do Coronel Ezequiel Mergelino de Souza, primeiro político da cidade a receber o título de prefeito, já na era republicana, nas eleições do início do século XX. Um busto do Coronel foi colocado em praça pública, celebrando o patriarca da uma das famílias mais influentes da cidade durante quase 100 anos.

Geralmente feitas em bronze, material mais fácil para produção de estátuas, as grandes cidades e capitais dos estados estão cheias de estátuas que representam essas figuras importantes de sua história, e muitas vezes controversas ou polêmicas.

O busto inaugurado pela Paróquia de Santa Rita de Cássia, na Igreja de Nossa Senhora das Graças, no Conjunto Cônego Monte, que homenageia Monsenhor Raimundo Gomes Barbosa, é o segundo busto ou estátua em praça pública. Geralmente, as homenagens em Santa Cruz são feitas com fotografias, pinturas ou apenas placas comemorativas, tendo em vista o custo para confecção de estátuas de grande porte.

A merecida homenagem foi aplaudida e comentada pela população, que sempre tem o Monsenhor Raimundo como uma das figuras mais ilustres da nossa história, que em 2023 terá o centenário do seu nascimento, uma data importante que merece ser comemorada pela Paróquia de Santa Rita e toda sociedade.

MONSENHOR RAIMUNDO

Monsenhor Raimundo Gomes Barbosa nasceu em Macau, em 27 de novembro de 1923, filho de José Gomes Barbosa e Cândida Maria Barbosa. Iniciou o aprendizado das primeiras letras com D. Ana dos Prazeres Avelino, sua mãe de criação em escola particular. Foi para o Seminário de São Pedro, em Natal, onde foi matriculado em dois de fevereiro de 1938, fazendo ai o curso secundário.

Rezou a sua primeira Missa, em cinco de dezembro de 1949, na capela do Hospital Miguel Couto e a missa solene, na matriz de Macau. Vaga a paróquia de Santa Cruz, pela saída de Mons. Emerson Negreiro, o Bispo Administrador Apostólico, Dom Eugênio de Araújo Sales, o nomeou pároco dessa comunidade. Foi Secretário de Educação, Diretor e professor do Instituto Cônego Monte e Ginásio comercial. Fundou o projeto Casulo, terminou a construção da Igreja Matriz, modificou o estilo da padroeira e incentivou a prática de esportes. Celebrou centenas de rituais católicos e sociais.

Depois de 15 dias internado na Casa de São Lucas, em Natal, Mons. Raimundo faleceu às 9h15, do dia 7 de outubro de 2005. Foi sepultado na Igreja Matriz de Santa Rita de Cássia, ao lado da Capela do Santíssimo.

Deixe uma resposta


m4net rodapé