Rosados na chapa? Derrota à vista

A jornalista Thaisa Galvão postou em seu blog uma análise de um leitor experiente na política potiguar. A indicação de mossoroenses nas chapas para governo do Estado, na vaga de vice não tem sido um exemplo de sucesso. Com a possibilidade de Kadu Ciarlini ser o vice de Carlos Eduardo, vamos às contas:

Em 1950, um mossoroense foi indicado como vice na chapa de Manoel Varela, foi Duarte Filho. Quem venceu a eleição foi um mossoroense, porém era o titular da chapa, o ex-governador Dix-Sept Rosado.

Depois foi a vez de Vingt Rosado, de Mossoró, como vice de Djalma Marinho. Quem venceu foi Aluízio Alves, com seu vice caicoense, Monsenhor Walfredo Gurgel.

Chegamos nos anos 80, eleição de 1986, Geraldo Melo e Garibaldi Alves (pai do atual Senador), derrotava a chapa de João Faustino (João do Coração) e Antônio Florêncio (de base política em Mossoró, segundo relato)

Entre 1990 e os anos 2000, a mossoroense Rosalba foi vice de Lavoisier Maia, e Garibaldi Filho recolocava os Alves no poder. Depois do fim da Era Garibaldi, Fernando Freire foi o nome para sucessão, e contou com o nome de Laíre Rosado para vice da chapa dos Alves. Carlos Augusto Rosado foi o vice de Fernando Bezerra. Final da história? Dois mossoroenses candidatos a vice-governador derrotados, pois Wilma de Faria venceu a eleição com o vice paraibano Antônio Jácome.

E agora? É hora de quebrar a maldição das derrotas de mossoroenses como candidatos a vice-governador?

Em 2018, vamos descobrir!

Deixe uma resposta


r87 500px