Pular para o conteúdo

Gilcelly Adriano

PL de Santa Cruz vai pedir voto de legenda para prefeito

De acordo com algumas fontes, o PL vai pedir o voto de legenda, número 22, para a Prefeitura. O partido não lançou candidatos na majoritária e nem coligou.

Nas redes sociais, os últimos ex- candidatos a prefeito da oposição, Gilcelly e Péricles, pediam o voto para 22.

VOTO NULO

Caso o eleitor decida votar 22, o número de votos nulo para para Prefeito será maior que em outras eleições.

Com a articulação de 2020 “quebrada”, o principal grupo de oposição talvez busque um voto de protesto contra outros colegas de mesmo bloco e contra o atual sistema governista.

Agora é esperar o “abrir” das urnas.

Padre Vicente é o convidado da live de Péricles e Gilcelly

Na segunda é live da situação, na terça da oposição. Toda semana começa assim!

Nesta terça-feira (11), dia de Santa Clara de Assis, patrona da televisão, o convidado da oposição é do clero.

Padre Vicente é o convidado da live de Gilcelly Adriano e Péricles Rocha, para falar como a pandemia afetou os trabalhos da Paróquia de Santa Rita de Cássia.

Péricles joga a toalha

Péricles Rocha, em sua live semanal com a oposição, fez declarações que claramente “jogou a toalha”. Péricles não é mais pré-candidato a prefeito de Santa Cruz.

“Nós falávamos por telefone, retomamos reuniões e foi evoluindo as conversas. Nossa ideia era que fizesse uma pesquisa interna para escolher o candidato e o vice do grupo. Discutimos que tinha que ser do grupo e consenso entre a oposição, tinha que seguir unida”, explicou Péricles sobre as conversas iniciais sobre a pré-campanha.

O ex-prefeito  viveu duas realidades em suas três eleições à Prefeitura. Em 2008 venceu apoiado por Tomba Farias, já em 2012 e 2019 enfrentou seu primo-deputado e perdeu a disputa, e sabe que a união dos blocos para enfrentar uma eleição é o melhor caminho. “Defendia e sempre defendi candidatura única da oposição. A oposição caminhar para unificação, isso sim”, disse.

Mas o ex-prefeito não detalhou porque essa articulação falhou. Não contou o santo, mas falou do milagre. “Começou a aparecer alguns percalços, apesar de continuar se reunindo. Dissidências e surgindo candidatos dentro da própria oposição. Alguns partidos estão bem divididos, e andei conversando com os pré-candidatos, falei sempre na unidade. Eu ainda hoje continuo brigando para isso, a unidade”, defendeu.

Péricles revelou que existe uma discordância grande no grupo, e que sua família pediu para não ser candidato. Ele sofreu pressão para decidir sua candidatura. “Até esse momento não convergiu para isso, e tem muita discordância dentro da própria oposição. Conversei com minha família, irmão, esposa, filhas, e fiz uma enquete no WhatsApp com os amigos e pedindo opinião. Sofri pressão dos partidos para que tomasse uma decisão, e eu sempre dizendo que precisava de unidade”, relevou.

Por fim, Péricles decidiu desistir da sua pré-candidatura: “Diante dessa posição e dessa pressão, e tinha que ter tempo para trabalhar a campanha. Depois de consultas e conversas, todos diziam, principalmente a minha família, que eu não deveria ser candidato. Todos me aconselharam a não sair candidato”.

REUNIÃO DA DISCÓRDIA

Uma famosa reunião da oposição que foi amplamente comentada nas redes sociais aconteceu de fato, e Péricles comentou sobre ela. “Sexta-feira passada [pela referência da data foi 24/07] fiz uma reunião, e diante disso decidi retirar minha candidatura e deixar os partidos reunirem e encontrar um outro nome”, confirmou Péricles.

Mas esse afastamento da candidatura não impedirá dele fazer campanha com a oposição, foi o que ele mesmo declarou: “Vou estar junto para apoiar a campanha, mas diante disso tudo, eu achei melhor não ser candidato. Espero que todos entendam a minha posição. Não é fácil. Nós pensamos em fazer um gestão com responsabilidade, valorizar cada centavo do dinheiro publico, e resolver problemas que achamos na administração atual”, finalizou.

Os possíveis pré-candidatos da oposição

Quais nomes tentam viabilizar seu nome para uma candidatura na oposição?

Muitos são os nomes que aparecem no cenário, conheça os principais líderes e alguns que foram ou podem ter sua foto aparecendo na urna eletrônica em novembro deste ano.

PÉRICLES ROCHA: Um nome tradicional que rompeu com Tomba Farias em 2011, já foi candidato contra o grupo do primo-deputado em 2012 e 2019. Nas “análises” internas (ou externas também) é o nome mais bem avaliado para uma disputa eleitoral.

GEAN PARAIBANO: Um dos ferrenhos opositores do grupo Tomba-Ivanildinho, antes de 2018 era aliado do grupo e votava a favor dos projetos da ex-gestão Fernanda Costa. Foi o principal líder da oposição após a cassação da ex-prefeita, e o nome mais ativo atualmente no grupo da contra Ivanildo.

NIXON: Preside o Partido dos Trabalhadores e já integra a oposição há anos, busca reunir apoio da oposição mais tradicional a Tomba Farias.

PETRÔNIO SPINELLI: Talvez seja o nome mais conhecido ao lado de Péricles Rocha, o atual secretário adjunto da saúde do RN era um nome muito cotado até os prazos de afastamento do serviço público serem vencidos. Ainda tem muito prestígio na oposição e é o nome mais ligado a Fátima Bezerra na política local.

MÁRCIO CAVALCANTI: Foi candidato a deputado federal pelo Rede Sustentabilidade, nas eleições gerais de 2018. Tem se posicionado contra a gestão municipal em vários pontos e pode ser um novo nome para o grupo oposicionista.

PAULO CÉSAR BEJU: Principal nome da oposição no bairro Paraíso, foi candidato a vice-prefeito na eleição suplementar de 2019, mas tem fortalecido seu nome para candidatura ao legislativo.

JOSEMAR BEZERRA: Sempre é um nome cotado para o executivo desde 2008, quando o grupo de Tomba negou uma possível vaga de vice na chapa com Péricles, sendo ocupada por Joca Ferreira. Josemar permaneceu no grupo até 2011, quando acompanhou Péricles no rompimento com Tomba. Josemar foi candidato a vice de Gilcelly Adriano, em 2016, mas foi o coadjuvante da maior derrota da história da oposição de Santa Cruz.

GILCELLY ADRIANO: Foi vereadora entre 2013 e 2016, e eleita pelo grupo de Tomba e Fernanda, chegando ao posto de líder do governo naquela legislatura. Ela foi a protagonista da eleição de 2016, quando a oposição sofreu a maior derrota da história política da cidade. Mas tem um nome forte junto a João Maia e Zenaide Maia, principal partido da oposição na atualidade.

Posse de Dr. Zé Francisco é marcada por polêmica entra situação e oposição na Câmara Municipal

Era para ser mais uma sessão como qualquer outra, mas foi o encontro dos grupos de situação e oposição. As principais lideranças da situação (Ivanildinho e Tomba) estiveram frente a frente com os líderes da oposição (Péricles, Josemar e Gilcelly).

Todo mundo procurou congratular Zé Francisco, mas os discursos na verdade eram um convite para ele fazer parte de algum dos blocos. Na segunda parte de cada discurso, o foco era atacar o adversário ou responder as agressões sofridas por outros.

A posse de um novo membro do legislativo foi só desculpara um encontro de dois palanques. O clima esquentou mesmo no final, após o discurso do deputado Tomba Farias (PSDB). Gean Paraibano pediu a palavra pela segunda vez ao Presidente da Câmara, Fábio Dias, mas lhe foi dado 1 minuto para algumas considerações finais, o que ele quis fazer na tribuna da casa. Fábio negou “qualquer espetáculo” para o clima já tenso, então o vereador Gean Paraibano se exaltou e trocou farpas com o deputado Tomba Farias.

“Você não manda aqui não, deputado. Vá mandar lá na Assembleia”, disse Gean. Tomba também se exaltou e se retirou do plenário na sequência. O deputado ficou com seu grupo no Calçadão Georgino Avelino, de frente a Câmara Municipal e questionava do desequilíbrio que tomou conta do final da sessão. “É lamentável que esse tipo de coisa aconteça num lugar de respeito e prestígio para o povo de Santa Cruz”, disse.

Dr. Zé Francisco não se abateu com o clima e posou para muitas fotos, além de conceder sua primeira entrevista como vereador do município.

Prefeitos eleitos em Santa Cruz tem ações eleitorais pedindo cassação desde as eleições 2008

São 10 anos que Santa Cruz não conhece uma eleição municipal sem alguma ação a ser movida contra os eleitos para comandar o poder executivo. A ação de cassação contra Fernanda Costa foi a maior dos últimos tempos no Rio Grande do Norte, e configura também a maior ação na história da cidade.

Uma das primeiras ações eleitorais que pediam cassação dos eleitos na história recente de Santa Cruz foi em 2008, na eleição que Péricles Rocha enfrentou Petrônio Spinelli. Naquela eleição, um a ação investigou a prática de captação ilícita de votos, baseada em cartas com pedidos diversos de eleitores e R$ 9.600,00 em dinheiro, encontrados pelo juiz da 16ª Zona Eleitoral em maleta de propriedade de “Tomba”, no dia da eleição.

Em julho de 2009, Péricles Rocha, na época filiado ao PSDB, foi cassado em decisão tomada pelo juiz Flávio Ricardo Pires de Amorim, da cidade de Tangará. Além dele, o vice-prefeito Joca Ferreira também foi cassado. O presidente da Câmara Municipal, Josemar Bezerra, foi intimado para assumir interinamente a Prefeitura Municipal, mas não foi encontrado e a cidade ficou sem prefeito por algumas horas. O juiz Roberto Guedes determinou, em caráter liminar, a permanência da chapa até a decisão final do TRE/RN.

ABSOLVIÇÃO DE PÉRICLES

A Procuradoria Regional Eleitoral no Rio Grande do Norte (PRE/RN) na época emitiu parecer pela não cassação de José Péricles Farias da Rocha e João Olímpio Maia Ferreira de Souza (Joca Ferreira). Para a PRE/RN, a decisão que cassou o mandato dos candidatos deve ser reformada, pois não há provas suficientes que caracterize a compra de votos atribuída a eles.

O procurador regional eleitoral substituto, Ronaldo Sérgio Chaves Fernandes, concordou com os argumentos do recurso, uma vez que não há testemunhas ou prova documental demonstrando o oferecimento, a doação, a promessa, ou entrega de vantagem com intuito eleitoreiro. Diante da fragilidade das provas, o procurador considerou que a sentença condenatória deve ser reformada, afastando as penalidades aplicadas, pois ressalta que “não se pode reputar praticada a compra de votos, por maiores que sejam os indícios de sua futura ocorrência”.

Péricles Rocha depois teve a confirmação no TRE/RN e no TSE de sua absolvição nessa ação eleitoral.

PÉRICLES X FERNANDA

Outra Ação de Investigação Judicial Eleitoral que foi movida na eleição seguinte, em Santa Cruz, foi contra Fernanda Costa e Joca Ferreira, além dos candidatos a vereador Ana Fabrícia e Tarcísio Reinaldo. Os quatro foram acusados de infringirem a legislação eleitoral na Festa das Personalidades de 2012, realizada no Trairi Clube.

A denúncia foi assinada pelos advogados Felipe Cortez e Esequias Pegado Cortez Neto, que representam a coligação “Santa Cruz da Gente”, de Péricles Rocha, agora já filiado ao PSD, e o vice Marcos Lima (PTB). Na época, foi colocado que os acusados “receberam destaque dentre os demais homenageados presentes, evidenciando a sua condição de candidatos e desigualando a disputa eleitoral perante a nata formadora de opinião da sociedade santa-cruzense”.

A ação não prosperou e Fernanda Costa concluiu seu primeiro mandato, em 2016, e foi reeleita.

A FARMÁCIA DA DISCÓRDIA

Em 2016, às vésperas das eleições, a Polícia Federal apreendeu documentos na Farmácia Droga Center, em cumprimento ao mandado de busca e apreensão autorizada judicialmente, com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

De acordo com os autos, “a denúncia assinada pelo Sr. Arilson Medeiros de Araújo”, esposo da candidata da adversária, Gilcelly Adriano, “que descreve de forma detalhada o funcionamento de supostos ‘esquemas’ de distribuição de medicamentos e combustível ao eleitorado, através dos vereadores e lideranças do grupo político da Prefeita Fernanda Costa Bezerra, utilizando-se para tanto de recursos públicos oriundo da Prefeitura Municipal”.

Os cadernos de capa amarela e verde, além de envelopes e outros documentos foram apreendidos e fizeram parte das provas que continham nomes como: Aninha de Cleide, Tarcísio Reinaldo, Mário Farias, Monik Melo, Gilcelly Adriano, Raimundo Fernandes, Genaro Filho, Marcela Ravena, Geisa Ferreira, Acrísio Gomes, Sérgio Magno, Milena Bulhões e outros.

DELAÇÕES

A funcionária Lígia Cristina Cavalcante da Silva foi fundamental em seu depoimento para esquematizar esses detalhes para ação eleitoral que cassou Fernanda Costa. Nos autos consta que ela “trabalhou na Farmácia Drogacenter, de 2009 à 2017, portanto no período dos fatos discutidos. Era funcionária de confiança, realizando atividades restritas a ela e aos proprietários, tendo acesso e atribuição de ‘tirar todas as notas fiscais eletrônicas da farmácia, incluindo as da Prefeitura, incineração e devolução de medicamentos;'”. O depoimento revelava uma cota mensal de R$ 900,00, podendo acumular créditos para os meses seguintes, caso não fosse utilizado totalmente.

OPOSIÇÃO NA COTA

Os autos mostram que Gilcelly Adriano fazia parte dessas cotas, tanto que seu nome aparece nos registros, no entanto sua participação vai até abril de 2016, ano da eleição, e anterior ao rompimento dela com o sistema governista de Fernanda Costa.

DELAÇÃO DA OPOSIÇÃO

Na matéria do TJRN, as informações foram de que as provas pelas quais o MPRN ajuizou ação penal foram obtidas em ação deferida por juízo eleitoral que apurava abuso de poder na eleição de 2016 em contratos mantidos com uma farmácia e um posto de combustíveis de Santa Cruz. Tomba e sua esposa possuem prerrogativa de foro no Tribunal de Justiça, único que poderia ter autorizado ação de busca e apreensão para sustentar investigação sobre ambos.

No julgamento, restou o entendimento que é preciso o respeito ao regramento jurídico e que não podem ser admitidas provas colhidas de forma ilegal para consecução penal. Os elementos, no entanto, seguem válidos para ação eleitoral.

Por outro lado, o Tribunal de Justiça recusou o pedido para nulidade do acordo de delação premiada firmada entre Gilcelly Adriano Medeiros de Araújo e Arílson Medeiros de Araújo com o MP. A contribuição que ambos deram são utilizadas para outras investigações.

CASSAÇÃO

No dia 27 de novembro de 2018, o pleno do TRE/RN, com a relatoria do juiz Wlademir Capistrano, cassou a prefeita Fernanda Costa, seu companheiro de chapa, Ivanildinho Ferreira, além dos vereadores Aninha de Cleide, Monik Melo, Mário Farias, Raimundo Fernandes, Tarcísio Reinaldo e Thiago Fonseca.

TODOS ELEITOS QUESTIONADOS

Péricles Rocha foi vencedor de 2008, teve questionamento sobre uma mala de dinheiro, gerou uma ação eleitoral. Já em 2012, foi Fernanda Costa a eleita, mas também sofreu com uma ação eleitoral.

Agora, em 2018, a cidade enfrenta um resultado de uma ação eleitoral, resultante de 2016, que pediu a cassação da eleita Fernanda Costa.

Ou seja, os últimos três eleitos tiveram suas vitórias questionadas na justiça eleitoral.

A judicialização das campanhas eleitorais em Santa Cruz parece ser um caminho viável para os grupos políticos. O chamado “tapetão” é uma opção para enfrentar a derrota ou ainda a compra de votos, seja ela comprovada ou não.

Pesquisa Consult apresentou primeiro empate técnico dos últimos anos

Desde que a pesquisa Consult iniciou seus levantamentos em Santa Cruz esta é a primeira vez que Tomba Farias não apresentou uma larga vantagem à frente dos adversários. O candidato de Tomba, Ivanildo Ferreira, colocou 3,33% de vantagem em Péricles Rocha, na espontânea, e 2,08% na estimulada.

Vamos considerar as últimas eleições, partido de 2012, apenas com votos válidos:

ELEIÇÕES 2012

Pesquisa Consult

Fernanda: 56,74%

Péricles: 35,46%

Petrônio: 7,57%

Iraquitan: 0,24%

Resultado TRE/RN

Fernanda: 52,12%

Péricles: 41,03%

Petrônio: 6,59%

Iraquitan: 0,27%

ELEIÇÕES 2016

Pesquisa Consult

Fernanda: 76,5%
Gilcelly: 23,5%

Resultado TRE/RN

Fernanda: 66,29%
Gilcelly: 33,71%

O primeiro empate técnico registrado em campanha eleitoral, nos últimos 20 anos, animou o grupo da oposição, que afirmar ter outros dados de pesquisas de consumo interno.

[VÍDEO] Ex-vereadores Josemar e Gilcelly vão às ruas para falar da cassação de Fernanda Costa

Pelas ruas do Paraíso, os dois companheiros de chapa das eleições 2016, que perderam a eleição para Fernanda Costa, foram às ruas para comenta a cassação da ex-prefeita e adversária política.

Josemar Bezerra e Gilcelly Adriano criticaram a gestão do grupo de Tomba Farias, e foram explicar a cassação da ex-prefeita Fernanda Costa.

A estratégia tenta combater as visitas que os correligionários de Tomba estão fazendo de casa a casa, pelos bairros da cidade.

https://youtu.be/8Rgp05UXHQk

Oposição se anima com mobilização para Gustavo Carvalho

As mobilizações da oposição de Santa Cruz animaram alguns líderes do grupo, que acreditam numa onda favorável ao principal candidato, o deputado estadual Gustavo Carvalho (PSDB).

O ex-vereador Josemar Bezerra afirma que a carreata de Gustavo confirmou uma tendência favorável ao candidato. “Foi graças ao nosso deputado que conseguimos a adutora para a comunidade Bonsucesso, além de muitas outras melhorias para Santa Cruz e região. Gustavo sim é um deputado que é bom de trabalho, não de palavras, mas de ação”, disse Josemar.

O movimento pró-Gustavo aconteceu na última sexta-feira (21), chamado de “Carreata da Verdade”, que terminou em São Bento do Trairi, com um comício liderado pelo prefeito Keka Araújo.



Gilcelly Adriano disse que Zenaide Maia destinou R$ 650 mil para Santa Cruz

Em seu discurso, Gilcelly Adriano (PR) criticou o deputado Tomba Farias indiretamente por críticas feitas à Zenaide Maia, candidata ao Senado. O deputado estadual afirmou em suas reuniões que Zenaide Maia prometeu o envio de recursos, e estava esperando estes chegarem até a Prefeitura de Santa Cruz.

A ex-vereadora e ex-candidata a Prefeita afirmou em palanque que Zenaide destinou R$ 650 mil. No entanto, não detalhou sobre estes recursos que a candidata ao Senado Federal teria feito para o município.

Outro fato interessante, é que Zenaide teria articulado a possibilidade de criação de uma UTI em Santa Cruz, “mas a gestão municipal não demonstrou interesse porque os custos eram altos demais”, segundo Gilcelly.

E agora? Quem será que está falando a verdade?

Oposição de Santa Cruz reafirma apoio à Zenaide Maia

Como já era esperado, a oposição de Santa Cruz vai reforçar o apoio ao palanque de Fátima Bezerra (PT), com o primeiro voto para Zenaide Maia (PHS).

Os vereadores Paulo César Beju e João Victor registraram o encontro com a ex-candidata a prefeita e ex-vereadora, Gilcelly Adriano (PR), junto com o ex-prefeito Péricles Rocha (PSD) e o ex-presidente da Câmara Municipal, Josemar Bezerra.

Péricles Rocha, Marcos Lima e Paulo César Beju ficam com Robinson Faria

Oposição deve seguir dividida nas eleições de 2018, principalmente para o cargo de governador(a). Enquanto o PT, Josemar Bezerra (sem partido), vereador João Victor (PSDB) e Gilcelly Adriano (PR) apoiam Fátima Bezerra (PT), o grupo formado pelo ex-prefeito Péricles Rocha (PSD), o ex-candidato a vice-prefeito, Marcos Lima e o vereador Paulo César Beju (PSD) vão apoiar a reeleição do governador Robinson Faria (PSD).

A oposição deve se unir para apoiar a dobradinha Gustavo Carvalho e João Maia, para estadual e federal, respectivamente.

Para o senado, um voto deverá sair para Zenaide Maia.

Josemar, Gilcelly e João Victor fecham apoio à Fátima Bezerra

A chapa que ficou em segundo lugar na eleição majoritária de 2016, em Santa Cruz, Gilcelly Adriano (PR) e Josemar Bezerra (sem partido), fechou apoio à senadora Fátima Bezerra (PT) na sua pré-candidatura ao Governo do RN.

O vereador João Victor (PSDB) também acompanhou os apoios dos líderes da oposição. “Na nossa campanha Fátima foi correta em ficar conosco, não poderíamos seguir outro caminho se não a correção retribuindo o apoio”, disse o ex-vereador.

“Vamos trabalhar para o unir o povo de Santa Cruz em torno do projeto de Fátima governadora, sabemos da importância do trabalho de Fátima em Santa Cruz”, finalizou Josemar.

Oposição fecha dobradinha Gustavo Carvalho e João Maia

Enquanto o grupo de Tomba deve fechar a dobradinha com Agripino Maia (DEM), a oposição vai votar em um velho aliado do grupo da situação, o ex-deputado João Maia, que vai buscar o cargo de deputado federal novamente.

A dobradinha deve ficar sendo Gustavo Carvalho para estadual, proposta de Josemar e Péricles, e João Maia para federal, proposta de Arilson e Gilcelly.

Para governo do estado, o grupo ainda deverá discutir quem apoiar, apesar de um grande grupo ter simpatia pela pré-candidatura de Fátima Bezerra. Outro grupo tem afinidade com o Governador Robinson Faria e ainda tem cargos no estrutura estadual.

As definições serão este mês ainda, pois as convenções já devem começar.

Denúncia contra Tomba e Fernanda é rejeitada pelo TJRN

Uma das denúncias mais esperadas pela oposição de Santa Cruz sofreu um duro golpe com a decisão do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, que a rejeitou, na qual acusa o deputado estadual Tomba Faria e a prefeita de Santa Cruz, Fernanda Costa Bezerra, de abuso de poder nas eleições de 2016.

O TJ aponta que em razão das provas utilizadas contra ambos no oferecimento da denúncia terem sido obtidas de forma ilegal, restou o entendimento que é preciso o respeito ao regramento jurídico e que não podem ser admitidas provas colhidas de forma ilegal para consecução penal. Os elementos, no entanto, seguem válidos para ação eleitoral.

As provas pelas quais o MPRN ajuizou ação penal foram obtidas em ação deferida por juízo eleitoral que apurava abuso de poder na eleição de 2016 em contratos mantidos com uma farmácia e um posto de combustíveis de Santa Cruz. Pelo fato do deputado Tomba e sua esposa possuírem prerrogativa de foro no Tribunal de Justiça, único que poderia ter autorizado ação de busca e apreensão para sustentar investigação sobre ambos.

Por outro lado, o Tribunal de Justiça recusou o pedido para nulidade do acordo de delação premiada firmada entre Gilcelly Adriano Medeiros de Araújo e Arílson Medeiros de Araújo com o MP. A contribuição que ambos deram às investigações seguirão válidas para ações futuras.

Internautas elegem Josemar Bezerra como um dos melhores vereadores da legislatura

A legislatura que terminou em dezembro de 2016 levou junto o mandato de Josemar Bezerra, que estava no seu terceiro consecutivo. Entre 2013 e 2016, o vereador foi o principal protagonista do grupo da oposição, mas ficou com a indicação de vice-prefeito na chapa encabeçada por Gilcelly Adriano.

Nas enquetes do Blog do Wallace, anualmente realizadas como parte do prêmio Destaques do Ano, Josemar venceu quatro anos seguidos do seu mandato, e Aninha de Cleide em 2015 empatou com Josemar Bezerra.

Josemar se iguala a Luciclaudio Bezerra, que também foi considerado pelos internautas o melhor vereador por quatro anos e o melhor da legislatura.

A enquete recebeu 22.396 votos e foi decidida por 27 votos, e a diferença entre os quatro primeiros lugares foi muito pequena.

Confira:

Qual vereador santacruzense apresentou melhor desempenho em 2016?

Josemar Bezerra – 19,91% (4.796 Votos)
Aninha de Cleide – 19,80% (4.769 Votos)
Gilcelly Adriano – 19,54% (4.706 Votos)
Monik Melo – 19,43% (4.681 Votos)
Tarcísio Reinaldo – 10,10% (2.433 Votos)
Raimundo Fernandes – 3,96% (953 Votos)
Júnior dos Bodes – 3,77% (908 Votos)
Pedro Dério – 2,30% (555 Votos)
Samuel Palhares – 1,20% 289 Votos)

Total de Votos: 24.090

Josemar e Aninha seguem na disputa para melhor vereador santacruzense em 2016

A votação segue apertada entre Josemar Bezerra e Aninha de Cleide, assim como em 2015, para a escolha do melhor vereador santacruzense em 2016. Na edição anterior, Josemar e Aninha empataram na votação.

Outros que estão bem colocados são Monik Melo e Gilcelly Adriano. O vereador do PTN, Monik Melo, encerrou 2016 com uma boa articulação para a presidência da Câmara, além de conquistar a reeleição após muitas dificuldades em sua base política.

Gilcelly Adriano foi a candidata à prefeita pela oposição e liderou o grupo na Câmara, recompondo o G4 oposicionista no final da legislatura.

Siga a enquete e vote até o dia 23 de janeiro.

Desculpe, não há enquetes disponíveis no momento.

Qual vereador santacruzense apresentou melhor desempenho em 2016?

O blog pergunta aos internautas: Qual vereador santacruzense apresentou melhor desempenho em 2016?

Hora dos internautas podem opinar nos destaques do ano de 2016 e escolher o melhor parlamentar santacruzense no ano de 2016.

Qual deles?

Aninha de Cleide
Gilcelly Adriano
Josemar Bezerra
Júnior dos Bodes
Monik Melo
Pedro Dério
Raimundo Fernandes
Samuel Palhares
Tarcísio Reinaldo

A enquete segue aberta até o dia 23 de janeiro de 2017.