LAIS/UFRN

RN tem 80 municípios em zona de perigo ou risco de transmissão do coronavírus

Se a região do Trairi tem 80% dos municípios em área de risco ou perigo com a transmissão do coronavírus, o Rio Grande do Norte tem 80 municípios também na mesma situação. Uma realidade bem diferente da semana anterior, que chegou a ter o mapa com muitas “áreas verdes”, ou seja, zona de segura.

Na mais alta zona de transmissibilidade, Zona de Perigo, dos seis municípios nessa situação, três são da V URSAP, a região de saúde com sede em Santa Cruz. São eles: Boa Saúde (1º), São Bento do Trairi (4º) e Barcelona (5º). Esses municípios tem taxas de transmissão do coronavírus mais altas entre os 167 municípios do RN.

Outros 11 municípios estão em zona neutra, e 76 estão em zona segura.

Confira os dados:

Município Taxa R(t)  População 
Januário Cicco (Boa Saúde) 5.00              10.181
Francisco Dantas 4.99                2.824
Portalegre 3.18                7.867
São Bento do Trairí 3.07                4.449
Barcelona 2.98                3.998
Jardim de Angicos 2.42                2.612
Sítio Novo 1.80                5.522
Parazinho 1.72                5.237
Monte das Gameleiras 1.70                2.105
Espírito Santo 1.67              10.505
Passagem 1.60                3.089
Timbaúba dos Batistas 1.53                2.414
Coronel Ezequiel 1.52                5.506
São Tomé 1.50              11.055
Afonso Bezerra 1.49              11.035
Lagoa de Pedras 1.48                7.544
Ouro Branco 1.46                4.812
Ruy Barbosa 1.45                3.600
Senador Elói de Souza 1.44                6.086
Messias Targino 1.43                4.601
Lagoa d’Anta 1.42                6.769
Angicos 1.41              11.714
Serra de São Bento 1.40                5.762
Riachuelo 1.39                8.128
Brejinho 1.37              12.699
Santana do Matos 1.37              12.791
São Miguel do Gostoso 1.37              10.282
Serra do Mel 1.37              11.938
Pedro Velho 1.35              14.806
Rafael Fernandes 1.35                5.098
Baraúna 1.34              28.374
Fernando Pedroza 1.33                3.054
Bodó 1.32                2.223
Riacho de Santana 1.32                4.204
Serra Negra do Norte 1.32                8.078
José da Penha 1.31                5.951
Rodolfo Fernandes 1.31                4.467
Carnaúba dos Dantas 1.30                8.180
Serrinha dos Pintos 1.28                4.800
Lajes Pintadas 1.27                4.759
Lucrécia 1.27                3.996
Santa Maria 1.27                5.551
Nísia Floresta 1.26              27.602
São Vicente 1.26                6.424
Janduís 1.25                5.268
Vera Cruz 1.25              12.481
Almino Afonso 1.24                4.735
Viçosa 1.23                1.718
Caiçara do Norte 1.22                6.549
Frutuoso Gomes 1.22                4.068
Passa e Fica 1.22              13.277
Poço Branco 1.22              15.413
Pedro Avelino 1.21                6.716
Guamaré 1.20              15.659
Água Nova 1.19                3.252
Augusto Severo (Campo Grande) 1.19                9.655
Equador 1.19                6.045
Serra Caiada 1.19              10.395
Taipu 1.18              12.279
Bento Fernandes 1.16                5.497
Paraná 1.14                4.254
Paraú 1.13                3.768
Parelhas 1.12              21.477
Pilões 1.12                3.838
Santo Antônio 1.12              24.136
Caiçara do Rio do Vento 1.10                3.684
Tibau 1.10                4.106
Campo Redondo 1.08              11.217
Olho-d’Água do Borges 1.08                4.258
Santa Cruz 1.08              39.674
Caraúbas 1.07              20.493
Jaçanã 1.07                9.133
Vila Flor 1.07                3.170
Governador Dix-Sept Rosado 1.06              13.037
Pau dos Ferros 1.06              30.394
Açu 1.04              58.017
Major Sales 1.04                4.020
Pedra Grande 1.04                3.237
Touros 1.04              33.287
Alexandria 1.03              13.577
Areia Branca 1.03              27.774
Goianinha 1.02              26.328
Ipanguaçu 1.02              15.491
Jucurutu 1.02              18.295
Montanhas 1.02              11.251
Triunfo Potiguar 1.02                3.237
Acari 1.01              11.136
João Dias 1.01                2.654
Rio do Fogo 1.01              10.848
Taboleiro Grande 1.01                2.566
Upanema 1.01              14.659
Mossoró 1.00           297.378
Várzea 1.00                5.500
Lajes 0.99              11.277
Rafael Godeiro 0.99                3.201
Riacho da Cruz 0.99                3.579
São José do Campestre 0.99              12.856
Jardim de Piranhas 0.98              14.837
Doutor Severiano 0.97                7.076
Patu 0.97              12.755
Pendências 0.97              15.129
São Paulo do Potengi 0.97              17.579
São Pedro 0.97                5.971
Itajá 0.95                7.548
Jandaíra 0.95                6.878
Baía Formosa 0.93                9.271
João Câmara 0.93              34.955
São Fernando 0.93                3.584
Ceará-Mirim 0.92              73.497
Lagoa Salgada 0.92                8.245
Macau 0.92              31.814
Parnamirim 0.91           261.469
Tenente Ananias 0.91              10.786
Carnaubais 0.90              10.759
Monte Alegre 0.90              22.451
Natal 0.90           884.122
Bom Jesus 0.89              10.210
São José de Mipibu 0.89              43.899
Canguaretama 0.88              34.276
Japi 0.88                5.055
Florânia 0.87                9.116
Luís Gomes 0.87              10.116
São Gonçalo do Amarante 0.87           102.400
Serrinha 0.85                6.229
Alto do Rodrigues 0.84              14.529
São Miguel 0.84              23.519
Maxaranguape 0.83              12.371
Felipe Guerra 0.82                5.985
Lagoa Nova 0.82              15.614
Arês 0.81              14.306
Nova Cruz 0.81              37.343
São João do Sabugi 0.81                6.193
Tenente Laurentino Cruz 0.81                5.952
Jundiá 0.80                3.898
Apodi 0.79              35.845
Cerro Corá 0.79              11.179
Extremoz 0.79              28.583
Umarizal 0.79              10.555
Caicó 0.78              67.952
Macaíba 0.78              80.792
Tibau do Sul 0.77              14.180
Currais Novos 0.76              44.786
Ielmo Marinho 0.76              13.766
Martins 0.76                8.725
Santana do Seridó 0.76                2.680
Severiano Melo 0.76                2.440
Antônio Martins 0.75                7.145
Grossos 0.75              10.383
São Francisco do Oeste 0.74                4.228
Coronel João Pessoa 0.73                4.912
Galinhos 0.72                2.786
Encanto 0.71                5.638
Porto do Mangue 0.71                6.437
Pedra Preta 0.69                2.458
São José do Seridó 0.68                4.634
São Rafael 0.68                8.202
Ipueira 0.66                2.241
Jardim do Seridó 0.65              12.396
Cruzeta 0.63                7.998
Marcelino Vieira 0.61                8.347
Itaú 0.59                5.878
Senador Georgino Avelino 0.54                4.440
Tangará 0.52              15.727
Pureza 0.50                9.621
Venha-Ver 0.50                4.177
Lagoa de Velhos 0.49                2.732
São Bento do Norte 0.44                2.747

 

LEGENDA:  PERIGO  RISCO  NEUTRA  SEGURA 


senhoritta

Apenas Japi e Tangará apresentam índice de transmissão baixo na região Trairi

Em uma nova rodada de análise dos dados do Laboratório de Inovação tecnológica em Saúde (LAIS), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), a região do Trairi tem oito dos dez municípios em zona de perigo ou risco. São Bento do Trairi tem a maior taxa de transmissibilidade, com 3,07. Os melhores índices ficaram com os municípios de Japi e Tangará.

Confira os dados:

Município Taxa R(t)  População 
São Bento do Trairí 3.07                4.449
Sítio Novo 1.80                5.522
Coronel Ezequiel 1.52                5.506
Lajes Pintadas 1.27                4.759
Serra Caiada 1.19              10.395
Campo Redondo 1.08              11.217
Santa Cruz 1.08              39.674
Jaçanã 1.07                9.133
Japi 0.88                5.055
Tangará 0.52              15.727

 

A Taxa de Transmissibilidade, ou Taxa Rt para ser mais simples, é um dos indicadores utilizados para medir a evolução de uma doença endêmica. De forma simples, essa taxa indica quantas pessoas podem ser infectadas a partir de uma pessoa já doente. Para exemplificar suponha o Rt = 2, isso significa dizer que, estatisticamente falando, uma pessoa doente contaminará duas saudáveis. O ideal então é que esta taxa se mantenha o mais próximo possível de zero. A partir do momento que ela se mantém constantemente abaixo do valor 1, significa dizer que a doença está em um estado “controlado”.


senhoritta

5ª regional tem taxa de transmissibilidade em zona segura. Santa Cruz marca 0,74

Os dados do Laboratório de Inovação tecnológica em Saúde (LAIS) mantém o site com informações e monitoramento quase em tempo real sobre a situação da pandemia no Rio Grande do Norte.

A Taxa de Transmissibilidade, ou Taxa Rt para ser mais simples, é um dos indicadores utilizados para medir a evolução de uma doença endêmica. De forma simples, essa taxa indica quantas pessoas podem ser infectadas a partir de uma pessoa já doente. Para exemplificar suponha o Rt = 2, isso significa dizer que, estatisticamente falando, uma pessoa doente contaminará duas saudáveis. O ideal então é que esta taxa se mantenha o mais próximo possível de zero. A partir do momento que ela se mantém constantemente abaixo do valor 1, significa dizer que a doença está em um estado “controlado”.

Na 5ª regional de Saúde, com sede em Santa Cruz, a taxa geral é de 0,93, ou seja, dentro da zona segura. No entanto, Boa Saúde e Coronel Ezequiel estão na zona de perigo.

Os municípios de Serra Caiada, Japi, São Pedro, São Bento do Trairí e Ruy Barbosa estão na zona de risco.

Os demais estão na faixa segura, que é quando o indicador fica igual ou abaixo de 1,00.

Confira o ranking da regional:

1. Boa Saúde – 5.00

2. Coronel Ezequiel – 2.63

3. Serra Caiada – 1.70

4. Japi – 1.46

5. São Pedro – 1.39

6. São Bento do Trairí – 1.37

7. Ruy Barbosa – 1.04

8. Senador Elói de Souza – 0.87

9. São Paulo do Potengi – 0.85

10. Lajes Pintadas – 0.82

11. São José do Campestre – 0.79

12. Barcelona – 0.77

13. Tangará – 0.76

14. Santa Cruz – 0.74

15. Bom Jesus – 0.73

16. Santa Maria – 0.72

17. Jaçanã – 0.70

18. Campo Redondo – 0.50

19. São Tomé – 0.45

20. Sítio Novo – 0.44

21. Lagoa de Velhos – 0.32

O laboratório também esclarece que este não deve ser o único indicador avaliado, pois outros fatores são importantes para adoção das medidas restritivas.

Acompanhe os dados pelo site: https://covid.lais.ufrn.br/.


r87

RN tem 61 municípios em zona de risco. Santa Cruz está na zona segura com 0,76

O Rio Grande do Norte tem 61 municípios em zona de perigo ou em risco, com taxa de transmissibilidade do coronavírus acima de 1,03. Os dados são da plataforma de monitoramento da pandemia desenvolvida pelo Laboratório de Inovação tecnológica em Saúde (LAIS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

De acordo com os números, 8 municípios do estado estão em zona de perigo, com taxa de transmissibilidade do vírus acima de 2,0. Isso significa dizer que, estatisticamente falando, 100 pessoas doente contaminarão 200 saudáveis. O nível é o mais alto na escala apontada pelo Lais. A população do RN dentro dessa zona é de 39.053. O município com a maior taxa é Boa Saúde, na V região de Saúde de Santa Cruz, com 5,00.

De acordo com o Lais, a taxa de transmissibilidade é um indicador importante para analisar a pandemia do coronavírus. No entanto, o laboratório destaca que os dados não podem ser utilizados separadamente. ” É preciso considerar outros indicadores nas avaliações dos contextos epidemiológicos” , apontou.

Em Santa Cruz, a taxa é de 0,76, sendo o 117º no ranking da escala entre todos os municípios do RN. Na região Trairi, Jaçanã e Lajes Pintadas apresentam as maiores taxas de transmissibilidade, com 1,07 e 1,06. Veja a tabela:

Município Taxa R(t)  População 
Jaçanã 1.07                9.133
Lajes Pintadas 1.06                4.759
Coronel Ezequiel 0.95                5.506
Japi 0.95                5.055
Serra Caiada 0.91              10.395
São Bento do Trairí 0.80                4.449
Santa Cruz 0.76              39.674
Tangará 0.76              15.727
Sítio Novo 0.66                5.522
Campo Redondo 0.57              11.217

Confira os dados por município, de acordo com dados do LAIS/UFRN:

Mais informações no site: https://covid.lais.ufrn.br/#taxa-rt-1


alrn-hoz

Cadastro no RN Mais Vacina é “obrigatório” para recebimento das doses na vacinação

O Governo do Rio Grande do Norte, por meio da Sesap, em parceria com o Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) da UFRN, desenvolveu o RN Mais Vacina, que irá monitorar o processo de vacinação contra a Covid-19 no estado. O sistema vai registrar a chegada da vacina enviada pelo Governo Federal, a transferência aos 167 municípios e a aplicação que será feita pelas secretarias municipais de saúde. Para o controle, a Sesap fez a distribuição de mil tablets em todas as salas de vacina, facilitando o acesso de todos.

Não é obrigatório realizar o autocadastro, mas de toda forma será efetuado na unidade de saúde em que ocorrer a vacinação. Isso porque o sistema permite maior transparência sobre as doses das vacinas e reduz desperdícios, além do rastreio da vacina desde o seu recebimento na Central Estadual da Rede de Frio, até a aplicação na sala de vacina, com uma interface web intuitiva e acessível.

Esse procedimento também também ajuda no cruzamento de dados que identifica incidentes e gera alertas e relatórios centrados na experiência do cidadão e do profissional de saúde.

Os pacientes que se enquadram no grupo de risco já podem realizar o autocadastro no RN Mais Vacina, basta acessar: https://rnmaisvacina.lais.ufrn.br/. O cadastro é autoexplicativo, mas quem tiver dificuldade para realiza-lo poderá fazer na hora de tomar a vacina na própria unidade de saúde. “Em menos de um dia, o sistema teve mais de 200 mil pessoas cadastradas. Isso vai facilitar o acesso a unidade de vacinação, mas cabe destacar que o paciente que não tiver feito o autocadastro não vai ser impedido de tomar a vacina”, frisou a secretária adjunta da Sesap, Maura Sobreira.


contex

RN Mais Vacina inicia cadastro nesta segunda-feira

A partir do meio dia desta segunda-feira, dia 18 de janeiro, todos os cidadãos potiguares poderão fazer o seu cadastro pessoal no RN Mais Vacina, plataforma especialmente construída para o planejamento, acompanhamento, transparência e gestão do processo de vacinação contra a covid-19, no Rio Grande do Norte. A plataforma é resultado de uma parceria com Governo do Estado e o Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS/UFRN).

O RN Mais Vacina é de fácil acesso https://rnmaisvacina.lais.ufrn.br/ e as pessoas poderão se cadastrar com seus dados pessoais e, se for o caso, inserir informações quanto aos grupos de risco e comorbidades. Apesar desta primeira etapa de vacinação, em todo o mundo, ser restrita aos grupos prioritários, é recomendado que todas as pessoas façam o cadastro, que irá auxiliar na criação de um banco de dados com o perfil da população potiguar. “Essas informações serão fundamentais para a gestão de todo o processo que está sendo desenvolvido pelo Governo do Estado e por todos os municípios”, explicou o coordenador do LAIS, professor Ricardo Valentim.

Durante todo o final de semana, a equipe técnica do LAIS e da SESAP realizou trabalho simultâneo, colhendo informações e fazendo testes para que o sistema seja colocado à disposição da população. Até o final da tarde deste domingo, mais de 100 voluntários de 10 municípios haviam realizado o cadastramento, dentro dos testes propostos, entre eles Natal, Parnamirim, Caicó, Umarizal e São Gonçalo do Amarante.

Com a efetivação do cadastro, cada cidadão terá o seu cartão de vacina virtual, recebendo notificações das datas, dentro do calendário nacional de vacinação, em que o seu grupo receberá a vacina, além de todas as informações sobre o processo. O cartão ficará disponível na própria plataforma do RN Mais Vacina.

Além do cadastro cidadão, o RN Mais Vacina tem espaços reservados para os gestores e para os órgãos reguladores, garantindo a transparência das informações coletadas. Ainda em relação à transparência, será feito o rastreamento de todas as doses que serão aplicadas desde a chegada da vacina ao Estado, passando pela distribuição aos municípios e às salas das Unidades Básicas de Saúde até o imunizante ser aplicado no paciente.

O sistema garante não só a transparência, como evita a perda de doses da vacina ou seu extravio.


alrn-hoz