Maracanã

Maracanã abandonado

Não foi um time de futebol que entrou em campo no Maracanã, que carrega o nome Jornalista Mário Filho, um dos templos do futebol mundial. A Polícia Civil foi acionada para investigar furtos na principal arena do Brasil nesta segunda-feira (9).

Foto Alexandre Macieira/Riotur

Entre os vários objetos roubados está o busto do jornalista Mário Filho, que era irmão do também jornalista e escritor Nelson Rodrigues, que dá nome ao estádio. De acordo com informações da polícia, foram subtraídos duas televisões, os bustos de cobre do jornalista Mário Filho e do ex-prefeito do Rio, Ângelo Mendes de Morais, e uma peça de cobre da mangueira de incêndio.

Mas não é apenas os furtos que preocupam, o Maracanã está abandonado às vésperas do início da temporada de futebol 2017, quando o Rio de Janeiro terá mais uma edição do campeonato estadual. Na última quinta-feira (5), o Jornal Nacional mostrou o abandono das instalações do estádio.

Má conservação do Maracanã mostra falta de cadeiras, o gramado destruído, problemas nas instalações e um total descuido não esperado para o maior estádio do país. Isso após reformas de mais de R$ 1 bilhão para a Copa do Mundo e a Rio 2016.

Reprodução Internet/Twitter

SEM ENERGIA
Jogado às traças, o estádio foi reformado para dois grandes eventos esportivos, mas está abandonado e sem energia elétrica. O estádio é administrado pelo Consórcio Maracanã, que tem a Odebrecht como líder e teve pedido de rescisão de contrato na exploração. O Comitê Rio 2016 é quem está sendo responsabilizado pela situação, num jogo de empurra-empurra entre o Governo e concessionária.

Foto Guito Moreto/O Globo

Foto Guito Moreto/O Globo

Foto Guito Moreto/O Globo


senhoritta