Talita Marielle

Talita Marielle: “Eu não votei contra Tomba e nem contra Ivanildinho”

O blog conversou com a vereadora Talita Marielle (PSDB), que chamou atenção na sessão de posse da Câmara Municipal de Santa Cruz, na eleição da mesa diretora. O assunto: a sua abstenção na votação da chapa de Fábio Dias (PSDB) no segundo biênio.

Vale destacar que foi a única abstenção da eleição, pois até a oposição fez suas escolhas na votação.

“A minha abstenção se deu pelo motivo que expliquei na posse: falta de consideração e respeito que o vereador Fábio Dias teve em não me procurar para pedir o voto, agiu como se eu não existisse. Não houve sequer uma ligação. Para pleitear presidência existem valores inegociáveis. Diferentemente de Marco Celito, que me procurou, demonstrou interesse em fazer Santa Cruz avançar. Fábio, não tenho ideia a que se propõe”, disse a vereadora ao blog.

Perguntada sobre as reuniões que os vereadores da base tiveram durante novembro e dezembro, se naquelas ocasiões não foi combinado a estratégia de voto, Talita fez questão de reforçar que não foi procurada. “Fábio Dias não me dirigiu a palavra. Marco já havia me procurado previamente”, reforçou.

Se o voto prejudicaria sua relação com os líderes do grupo, Tomba e Ivanildo, Talita disse que segue alinhada com o deputado e o prefeito. “Eu não votei contra Tomba e nem contra Ivanildinho. Eu não votei em Fábio Dias pela sua postura”.

Talita ainda respondeu ao blog “que ainda não conversou com eles [Tomba e Ivanildinho]”.

VOTAÇÃO

A votação do primeiro biênio foi um consenso, com exceção da candidatura de Lucicláudio Bezerra para a 2ª secretaria, mas a oposição votou nos outros cargos da chapa, que é liderada pelo vereador Marco Celito, eleito presidente para 2021-2022.

Para o segundo biênio, apenas Talita Marielle não votou na chapa, que elegeu Fábio Dias e mais cinco nomes para a mesa diretora, para 2023-2024.


alrn-hoz

Talita Marielle se absteve de votar na chapa de Fábio Dias

Quem “roubou a cena” na eleição da mesa diretora da Câmara Municipal de Santa Cruz foi a vereadora Talita Marielle (PSDB).

Em sua justificativa, a vereadora disse que Fábio Dias não fez nenhuma ligação para ela, pedindo o voto para a chapa do 2º biênio.

Fabio Dias, em seu agradecimento, evitou polemizar, mas disse que aqueles que votaram nele reconhecem seu trabalho à frente do legislativo.

DUELO FÁBIO x TALITA

Para aqueles que não conhecem os bastidores, Talita foi um dos nomes que ainda reuniu votos para um biênio, porém o grupo não conseguiu se manter.

Na sequência dessas articulações, Marco Celito se aliou a Fábio Dias e conseguiram a votação acima dos sete votos necessários para eleger a mesa diretora.

Talvez… Por Talita ter se articulado com outros vereadores, Fábio não foi buscar o “voto da reconciliação”.

Mas a vereadora também mostrou muita personalidade, falou em público e não poupou sinceridade em seu voto, contrariando a “correnteza do grupo”.

O que acontecerá? Teremos um quadriênio inteiro para acompanhar.


m4net

Legislativo de Santa Cruz volta a ter representação feminina na nova legislatura

Santa Cruz demorou para ter a primeira mulher à frente do executivo, mas em 2012 quebrou essa marca, já inaugurada em Sítio Novo e Tangará, por exemplo, há décadas. No legislativo, Terezinha Gonçalo foi uma das principais representantes por vários mandatos, fazendo história como a recordista de vitórias.

Em 2016, apenas Aninha de Cleide conseguiu manter a presença feminina na casa, que após a cassação de seis vereadores voltou ao perfil 100% masculino. Agora, 2020, das 13 vagas, três são mulheres, o que não retorna a marca de 30% de 2008, quando o legislativo teve Terezinha Gonçalo, Odete Dantas e Josy Palhares.

Talita Mariele, Nayara Fonseca e Zuleide Guilherme somam 23% de representação feminina na Câmara Municipal para a legislatura 2021-2024.

Gênero
Feminino Masculino
3 10
23% 77%

senhoritta