Cirurgias ortopédicas são suspensas no Deoclécio

Do site da Tribuna do Norte

O Hospital Estadual Deoclécio Marques, em Parnamirim, está sem médicos ortopedistas na manhã desta terça-feira (5), primeiro dia após o encerramento do contrato entre Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) e Cooperativa dos Médicos do RN (Coopmed). A situação contraria o pronunciamento da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), que garantiu a manutenção de cirurgias através de médicos com vínculo efetivo com o Estado.

Um comunicado escrito por dois médicos plantonistas noturnos, colocado na recepção do hospital, informa a falta de profissionais para garantir o atendimento 24h na unidade. “Cumpri meu horário de plantão noturno neste serviço e que, ao término do meu turno, não encontrei substituto para o plantão”, informa o comunicado, dirigido à direção técnica do Hospital Deoclécio Marques.

Além da interrupção das cirurgias, também não há consultas com ortopedistas nesta terça-feira. Os pacientes que estavam com horário marcado foram pegos de surpresa ao chegar no hospital e reclamam de não conseguir remarcar o retorno.

É o caso de Gileno Xavier, de 55 anos, do município de Eloi de Souza, distante 70 km de Parnamirim. Gileno sofreu um acidente de moto há 45 dias e quebrou a perna. Ele retornou ao hospital nesta terça-feira para uma consulta de acompanhamento e, ao chegar na unidade, foi informado da falta de médicos. “Não sei quando vou voltar porque não informaram”, disse.

A direção do Hospital Deoclécio Marques não atendeu a reportagem, apesar de se encontrarem presentes na unidade. Questionada pela reportagem, a Secretária Estadual de Saúde Pública (Sesap) afirmou que apura a situação.