Juíza não aceita transferências de Alcaçuz

Ainda não se sabe o porquê de não ter dado certo a transferência 220 detentos de três presídios da Grande Natal. A juíza corregedora da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, Maria Nilvalda Torquato, não aceitou as permutas de presos e a Secretaria Estadual de Segurança (Sesed) não sabe explicar o que causou tal embaraço.

Diante do impasse, os 116 presos que saíram da Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP) deveriam ficar custodiados em Alcaçuz, porém tiveram que ser acomodados na Cadeia Pública de Natal, o Presídio Provisório Raimundo Nonato Fernandes, na Zona Norte de Natal.

Diante desse impasse, nessa madrugada de quinta-feira (19), a Cadeia Pública de Natal vai saltar de 560 detentos para 676 presos. Isso supera e muito a sua capacidade, que é de receber 216 presos.