UFRN e UnP firmam parceria na área de saúde

Uma parceria firmada entre a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e a Universidade Potiguar (UnP) vai possibilitar que alunos e professores daquela instituição participem de pesquisas de ponta no desenvolvimento de novos materiais usados na área da saúde. A parceria firmada é uma iniciativa do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais (PPGCEM), da UFRN, e o Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia (PPGB), da UnP, e vai beneficiar também alunos da graduação.

Analisar materiais já usados na área da saúde, bem como inovar, desenvolvendo novos produtos, são os objetivos da interação. E o primeiro projeto fruto da união é o desenvolvimento de materiais cerâmicos, para impressão 3D com aplicabilidade na área da saúde. Essa interação entre as duas pós-graduações foi possível por meio da intermediação dos professores José Renato Cavalcanti de Queiroz, do PPGB/Unp, e do professor Antônio Eduardo Martinelli, do PPGCEM/UFRN.

“O objetivo é inovação dentro desta área, ultrapassando os limites do conhecimento atual, expandido a ciência para que novas e boas coisas possam ser produzidas, a fim de melhorar a qualidade de vida das pessoas e, ainda gerar publicações e patentes para a equipe de pesquisadores” afirma José Renato Queiroz.

A pós-graduação da UFRN é um dos melhores e mais consolidados programas de pesquisa na área de materiais do Brasil, sendo um dos únicos a alcançar nota máxima pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) na área de pesquisa em materiais. O professor Antônio Eduardo Martinelli é bolsista de produtividadee, juntamente com o professor José Renato Queiroz já possui parcerias, em dois artigos publicados em revistas internacionais, dentro dos quase 200 artigos que a dupla já escreveu.

Já o PPGB da UnP conta, atualmente, com um Mestrado Profissional em Biotecnologia e um Mestrado Acadêmico em Biotecnologia da Saúde. O Programa já possui diversas publicações de pesquisas em periódicos nacionais e internacionais, e mais de 30 depósitos de patentes com direitos de propriedades já concedidos no Brasil e nos Estados Unidos.