China confina 17 milhões após registrar recorde de casos de covid-19

Milhões de cidadãos foram colocados em confinamento neste domingo (13) na China, após registrar o maior número de casos de covid-19 em dois anos, mas a política “zero covid” causa cansaço entre a população e até dúvidas sobre a sua eficácia.

O gigante asiático registrou neste domingo 3.939 casos de covid-19 em 24 horas, o número mais alto nos últimos 24 meses no país, onde a população de várias cidades foi confinada por surtos do vírus, informou a Comissão Nacional de Saúde.

Devido ao surto, os bairros foram isolados um a um em Xangai, a metrópole mais populosa da China, e shoppings, restaurantes e escolas foram fechados.

A China, onde o vírus foi detectado pela primeira vez no final de 2019, seguiu uma política estrita de “covid zero” com bloqueios, restrições de viagem e testes em massa quando encontra novos focos.

No entanto, o número de infecções em um país de 1,4 bilhão de habitantes é pequeno quando comparado a outras nações.

Até agora, a China conseguiu manter os casos de coronavírus baixos graças a medidas draconianas, mas a exaustão afeta o país cada vez mais.

Algumas autoridades estão agora defendendo medidas mais brandas, ao mesmo tempo em que economistas alertam para danos à economia devido aos confinamentos.

Deixe uma resposta


r87 500px