Jackson Renê é o pré-candidato do PSB na eleição suplementar de Santa Cruz

O vereador Jackson Renê acaba de anunciar ao blog que será candidato na eleição suplementar de Santa Cruz, prevista para o dia 03 de fevereiro de 2019.

Jackson afirmou que em conversa com o deputado Rafael Motta, presidente da legenda no estado, decidiram que o PSB terá um candidato a prefeito em Santa Cruz, e será ele o principal nome discutido pelo partido.

Essa novidade tumultua mais ainda a “guerra partidária” que se inicia para as eleições suplementares.

Área Pastoral de Japi e São Bento conquista o seu veículo oficial

Agora as comunidades de Japi e São Bento do Trairi conquistaram a compra do seu carro oficial, que será utilizado pelo Padre João Maria Dias nas atividades da nova Área Pastoral.

O Padre Vicente, que acompanha a implantação dessa nova área pastoral, como um tutor desse processo, comentou que esse é um passo importante para maior atividade daquelas comunidades.

Tomba Farias visita o novo prefeito interino e coloca seu mandato à disposição

O deputado estadual Tomba Farias visitou o novo prefeito interino, vereador Marco Celito, para saudar pela conquista e colocar seu mandato à disposição da sua passagem pelo executivo. “Quero agradecer a você Marco e os vereadores por ajudarem Santa Cruz a continuar no caminho certo. Essa cidade sofreu muito, mas com vocês agora tudo vai se resolver”, disse Tomba.

Tomba ainda comentou a situação de Santa Cruz. “Eu conversava com os servidores efetivos, graças a eles a cidade não parou. Nós acompanhamos o episódio ridículo de portaria que nomeava, que exonerava, depois anulava outro ato e não exonerava, e os próprios comissionados não sabiam qual era a sua situação. Os contratados tiveram medo, os fornecedores não tiveram confiança com uma gestão que ia passar poucos dias e implantou o caos na cidade”, comentou.

Marco Celito agradeceu a Tomba por ter encaminhado sua candidatura na época, e apoiou sua intenção de ser candidato a vereador em 2016. “Agradeço a ele pelo apoio, participação na campanha. Sempre presente com esse grupo de suplentes, hoje vereadores. Tomba nunca abandonou seus aliados, e nós somos prova disso”, falou o novo prefeito.

O deputado Tomba lembrou a Marco Celito o desafio que ele terá pela frente em poucos dias de interinidade. “Seu desafio não é fácil. A cidade está devastada administrativamente. Toda estrutura da saúde, funcionalismo, contas, convênios e contratos prejudicados pelos prazos, além de uma completa situação de terror que foi implantada dentro do município. Quero que você organize tudo o que puder e vamos juntos até os órgãos estaduais e federais para fazer essas assinaturas e garantir mais recursos, são milhões e milhões para obras em Santa Cruz. Mas é com um prefeito comprometido com o povo que nós vamos garantir isso”, afirmou Tomba.

Tomba acompanhou a equipe nos primeiros minutos e depois se retirou para cuidar de assuntos pessoais. O deputado falou rapidamente ao blog da importância de normalizar o funcionamento da prefeitura. “Eu na minha experiência de prefeito, acho que Marco precisa se sentar com sua equipe, nomear pessoas de sua confiança e da confiança do grupo para conduzir a Prefeitura para uma tranquilidade e ao sucesso de gestão, entre as oito melhores, de acordo com o TCE/RN. Eu só vejo o momento para nós reconstruirmos a cidade. Santa Cruz não merece aventureiros”, concluiu.

Marco Celito tomou posse na Prefeitura Municipal de Santa Cruz

O novo prefeito interino de Santa Cruz, Marco Celito, é a terceira pessoa a ocupar a titularidade do executivo municipal neste ano de 2018, e assumiu suas funções na tarde desta sexta-feira (14).

Marco Celito foi acompanhado do grupo de partidários de Tomba Farias e subiu as escadas da Prefeitura até o gabinete civil, onde recebeu vereadores do bloco e aliados para as primeiras palavras como gestor legalmente empossado.

Ele agradeceu o apoio do bloco e dos aliados para conseguir conquistar o posto de comando do legislativo, e consequentemente a interinidade do executivo.

No momento da sessão, desembargador decidia que suplentes podem participar da Mesa Diretora

É cansativo discutir esse assunto, mas vamos lá. Suplente é suplente quando é temporário.

E foi o que decidiu o desembargador Vivaldo Pinheiro, que indefiriu o recurso do grupo de Gean Paraibano na tentativa de impedir que os novos vereadores empossados concorressem a Mesa Diretora.

“Ora, tendo o sido os “suplentes” empossados na função de Vereadores, a eles são garantidos todos os direitos inerentes ao cargo, dentre aos quais votas e ser votado, bem como concorrer a eleição da Mesa Diretora”, analisou o desembargador.

Essa decisão chegou a ser conhecida pela população de Santa Cruz por volta do meio-dia, no momento em que acontecia a sessão especial de eleição da nova Mesa Diretora. Ou seja, confirmou o entendimento da Comarca de Santa Cruz e dos advogados Ivalter e Thiago.

Em sessão a portas fechadas, Câmara Municipal de Santa Cruz outro momento polêmico

Uma decisão judicial reiniciou todo o processo da sucessão municipal em Santa Cruz, com a sessão de terça-feira (11) anulada, inquérito policial aberto contra o ex-prefeito interino e presidente interino da Câmara, Gean Paraibano, sendo ainda determinada a possibilidade de sua prisão em caso de novo descumprimento das ordens do Poder Judiciário.

Como previsto, a Polícia Militar isolou uma área de 50 metros nos arredores da Câmara Municipal, inclusive com o comunicado aos logistas para fecharem as portas e agilizar o isolamento da área. A ordem determinava que 20 minutos antes da sessão e 40 minutos depois da mesma, o acesso próximo deveria ser impedido, com restrição começando na Praça Coronel Ezequiel Mergelino, na entrada da Rua Eloy de Souza e o calçadão Georgino Avelino.

O primeiro a chegar foi o vereador João Victor, que estava recebendo todos para início das atividades, e foi quem recebeu o comando local da PM para orientações da determinação judicial. Em seguida, os vereadores do grupo de Tomba (Marco Celito, Fábio Dias, Edmilson Silva, Renato Locutor e Tarcísio das Horteiras) chegaram no local, e ainda visualizamos, pela ordem, a chegada dos advogados do grupo do deputado, o presidente da sessão, Gean Paraibano, e o vereador Jackson Renê.

A sessão foi aberta dentro do horário previsto, a votação foi feita com muita celeridade e a nova mesa foi eleita por 5 a 4 votos, sendo que foram eleitas chapas individuais, pois a Mesa Diretora tinha apenas algumas vacâncias em alguns cargos.

Eleitos:

Presidente: Marco Celito 1º Secretário: Renato Locutor 2º Secretário: Edmilson Silva Suplente: Fábio Dias

Ao ser empossada a nova Mesa, o vereador Edmilson Silva colocou um requerimento, embasado no regimento interno da casa, pedindo a realização da eleição do 2º biênio, tendo em vista que seria o último dia de funcionamento da Câmara, antes do recesso. Esse foi o momento polêmico, com o vereador Gean Paraibano não aceitando a realização de uma segunda eleição. De acordo com informações dos presentes no plenário, o ex-prefeito interino discutiu com o presidente recém-eleito, Marco Celito, em que “pedia a sua cadeira”, no caso o assento de presidente da Câmara e que Marco Celito fosse tomar posse como prefeito interino.

O requerimento foi votado e aprovado por 5 a 4, mas o grupo da oposição não aceitou e se retirou do plenário. Gean, João Victor e Jackson Renê saíram pela Praça Ezequiel Mergelino, ao som das vaias da população, principalmente do grupo da situação.

Os vereadores suspenderam a sessão por cinco minutos e retomaram com a eleição da mesa do 2º biênio, elegendo:

Presidente: Fábio Dias Vice-Presidente: Marco Celito 1º Secretário: Edmilson Silva 2º Secretário: Renato Locutor

Marco Celito foi empossado prefeito e segui para a Prefeitura Municipal para tomar posse e iniciar o seu mandato interino até 31 de dezembro.

Conversas em tempo de crise, por Diógenes Fagner

CONVERSAS EM TEMPO DE CRISE

Podia ser que chovesse a noite. Mesmo assim, sob o frio e a incerteza, Adriel e Renan abriram uma garrafa de vinho e brindaram a amizade. Há dois anos eles não se viam. Na primeira garrafa, atualizaram-se sobre os assuntos comuns da vida íntima e profissional. O tema da crise política apareceu quando Adriel citou o caso de um amigo que perdera o emprego na prefeitura. Neste momento, o diálogo entrou no terreno das convicções.

Adriel lamentou a cassação do grupo do Deputado. Para ele, Santa Cruz tornou-se um lugar melhor depois de Tomba. “Tu sabe que eu sou realista”.

Para Renan, ao contrário, o mérito é dos governos do PT. Tomba sempre foi um político que, se fez algo por Santa Cruz, fez ainda mais por sua família e seus apoiadores. “O realismo político, Adriel!, é a escolha mais fácil, porque aceita o mundo como ele é”.

Enfatizou o nome para trazer de volta a atenção do amigo, pois este observava a mulher da mesa ao lado.

Que tal um meio termo, propôs Adriel. “E se concordarmos que ambos, Tomba e o PT, contribuíram para melhorar a cidade? Não seria razoável reconhecer que Tomba e Fernanda, como gestores, conseguiram implementar no município programas federais e, nesse sentido, políticas petistas? Afinal de contas, Tomba chegou ao poder praticamente na mesma época que Lula”.

Talvez, ponderou Renan. “Mas me desagrada que exaltemos esta dita “eficiência”. O que Tomba e seu grupo realizou nos últimos 18 anos, gestores honestos e um grupo de técnicos concursados também teriam realizado e, além do mais, o teriam feito numa relação justa do poder municipal com os santa-cruzenses capacitados, sem subtrair recursos públicos.”

Eu entendo, disse Adriel. “A corrupção é um problema, mas, Renan, quando um candidato honesto e eficiente aparecer em Santa Cruz, se é que existe, este terá meu apoio.”

Neste momento, Renan assumiu uma postura antiga, pedante, da qual Adriel não gostava. “Eu não lhe entendo. É preciso um mínimo de princípios e boa-fé. Como você acredita que estes novos políticos nascerão sem o apoio das pessoas, sem que lhes sejam dadas as condições para crescer?!”.

A conversa antes cordial foi ocupada por ironias.

Estas divergências ideológicas e da forma de falar, Adriel sempre dissera que era mais a forma, noutros tempos teriam conduzido a uma briga. Mas Renan se conteve. Segurou as palavras.  Elas certamente depois fugiriam e apareceriam na forma de sua já conhecida tosse seca.

Abriram a segunda garrafa, mudaram de assunto.

A meia noite, uma chuva obrigou o Bar a fechar mais cedo e os amigos se despediram com afeto.

Em casa, na cama, Renan sentiu um pouco de tristeza. Será que foi agressivo com Adriel?  “Como é difícil ser ao mesmo tempo cordial e verdadeiro” pensou… e, já adentrando o registro do sonho, assistiu a si mesmo a voar sobre as ruas e prédios de Santa Cruz, num sonho repetitivo da infância cujo sentido ignora…

  Por Diógenes Fagner

Câmara Municipal realiza duas sessões para eleger nova Mesa Diretora

A Câmara Municipal de Santa Cruz realizou duas sessões para eleger a nova Mesa Diretora.

A primeira sessão era prevista em uma decisão judicial. Foi cumprida fielmente, mas em seguida, Edmilson Silva pediu a realização de uma nova eleição, aquela que resta, o segundo biênio.

O vereador Gean Paraibano questionou a realização dessa eleição e chegou a acontecer um momento acalorado. Gean pediu que Marco Celito se retirasse da presidência para assumir a prefeitura, pois ele iria tomar posse da presidência da Câmara, interinamente.

Gean se retirou da sessão, junto com os outros vereadores da oposição. A segunda sessão então foi realizada com cinco vereadores, e deverá ter questionamento judicial.

Vereadores estão empossados na Mesa Diretora. Marco Celito está prefeito interino

O vereador Marco Celito já está empossado prefeito pela nova Mesa Diretora da Câmara Municipal de Santa Cruz. Junto com ele novos membros da Mesa do legislativo. Os vereadores já autorizaram a entrada da imprensa e posaram para fotos.

Gean, João Victor e Jackson Renê se retiram da sessão

Em protesto contra a decisão de fazer eleição do segundo biênio, os vereadores Gean Paraibano, João Victor e Jackson Renê se retiraram da sessão da Câmara. Ao passar pela praça Coronel Ezequiel Mergelino, o ex-prefeito interino foi vaiado pela população.

Sessão especial é suspensa por 5 minutos

A sessão especial da Câmara Municipal de Santa Cruz foi suspensa por 5 minutos. Existe divergência sobre a votação do segundo biênio, tendo em vista que a Câmara Municipal entra em recesso no dia 16 de dezembro.

Câmara Municipal já tem nova Mesa Diretora eleita

Em sessão bem mais ágil e prática que o última tumulto da terça-feira (11), os vereadores elegeram a nova Mesa Diretora da Câmara Municipal de Santa Cruz. Em breve teremos mais informações.

Marco Celito é eleito presidente da Câmara Municipal em nova sessão

Os vereadores já elegeram o presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz. Como esperado, Marco Celito teve 5 votos contra 4 para João Victor.

Câmara Municipal começará em breve sessão especial

O blog já recebe informações da sessão especial que acontece neste momento em Santa Cruz.

Dentro de alguns minutos, a sessão deve começar, a maioria dos vereadores já estão presentes. O presidente, Gean Paraibano, já chegou à Câmara Municipal.

Justiça mantém impedimento à imprensa entrar na Câmara Municipal durante sessão especial

De forma inesperada, a imprensa foi impedida de participar da sessão especial que vai eleger a nova Mesa Diretora da Câmara Municipal.

A Rádio Santa Cruz AM entrou com pedido formal para que fosse liberada a participação da imprensa santa-cruzense. No entanto, o Juiz Ederson Solano manteve o impedimento à imprensa.

Infelizmente, a população não terá direito à publicidade das atividades do legislativo. Os veículos de comunicação vão recorrer desse ato não compreensível.

O que aconteceu em Santa Cruz com a nova decisão da Justiça sobre a Câmara Municipal

Confesso, às vezes nem eu entendo muito o que se passa em Santa Cruz. É preciso muita paciência para compreender a gravidade e complexidade de cada fato novo que acontece.

Mas vamos tentar esclarecer você, amigo leitor:

Todos já sabem sobre a vergonha e tumulto da sessão de terça-feira (11)? Caso não lembrem, recordemos esta matéria que o blog produziu (conferir aqui).

O juiz da Comarca de Santa Cruz, Dr. Ederson Solano, analisou uma petição feita por Gean Paraibano, outra do advogado Dr. Thiago Jofre, além do relatório da Polícia Militar de Santa Cruz. Após analisar esses documentos, o Juiz determinou o reinício de todo o processo, tendo em vista que o mesmo foi prejudicado diante de toda a confusão.

“Dentre a documentação colacionada, mormente diante da certidão narrativa lavrada pelo Comandante da Polícia Militar em Santa Cruz, Major Valber Pereira de Moura, depreende-se que o Sr. Genicleide teria contribuído para a confusão instalada, posto que teria determinado a saída do efetivo policial. […] Como decorrência lógica, percebe-se que o fato de ter o Sr. Genicleide Azevedo contribuído para a confusão vislumbrada não exclui o fato de que a multidão em questão, efetivamente, perturbou o saudável funcionamento daquela Casa Legislativa, sendo necessário frisar que a contundência deste último fato não deve ser obliterada pelo caráter lamentável do primeiro”, analisou o juiz Ederson Solano em sua decisão.

Para garantir a tranquilidade, pacificando todos os questionamentos, o magistrado decidiu anulara a sessão, para que se tenha início um processo coerente e sem mais pertubações. “Perante tais considerações, deve a sessão realizada no dia 11 de dezembro ser considerada nula, sendo imperiosa a convocação de nova sessão para a escolha dos membros da Mesa Diretora, no prazo de 24 (vinte e quatro) horas, oportunidade em que devem ser tomadas todas as medidas cabíveis, no sentido de que populares não possam adentrar ao recinto, para que, assim, seja garantida a tranquilidade do ato”, decide Dr. Ederson em um trecho do despacho.

Por fim, a decisão foi de:

  • instaurar inquérito policial em face do Sr. Genicleide Azevedo, para apurar a possível prática do delito de prevaricação, cabendo à Polícia Civil, no item “a”
  • realização de uma nova sessão em 24 (vinte e quatro) horas, promover a sessão para escolha dos membros da Mesa Diretora, no item “b”;
  • Gean está sob pena de responder administrativa (por improbidade) e criminalmente pela desídia, podendo ser preso em flagrante, ou encaminhado à Delegacia, para esclarecimentos, caso não garanta o cumprimento das decisões judiciais
  • no item “c”, o juiz determinou participação exclusiva dos vereadores e dos servidores do legislativo municipal, sendo facultada a presença no auditório de dois advogados, no máximo, para cada vereador, membros e/ou servidores do Ministério Público ou Judiciário, caso venham a fiscalizar o evento
  • depois o polêmico item “d”, determinando a proibição da entrada na Câmara Municipal, desde 20 minutos antes do horário oficial de início da sessão, até 40 minutos após seu encerramento
  • A PM deve impedir a entrada de populares, membros da imprensa ou qualquer outra pessoa que não esteja elencada no item “c”, numa área de 50 metros da Câmara;
  • para evitar o “jogo da notificação”, quando os endereçados desaparecem misteriosamente, o Dr. Ederson decidiu: caso haja ocultação do Sr. Genicleide em ser intimado na forma do item “b”, proceder-se-á a intimação por hora certa, resguardando-se a celeridade da ordem ora imposta”.

ELEIÇÃO DA MESA

Essa decisão anula a eleição comandada pelo vereador Edmilson Silva, pois o juiz entendeu que esse processo deveria ser da titularidade do presidente da Câmara, Gean Paraibano. No entendimento, o magistrado acredita que o processo deveria ser feito com base na decisão judicial anterior que fixou prazos e decisões importantes a cerca desse rito da sucessão municipal, não cabendo ao mesmo decidir questões interna da Câmara.

E O SEGUNDO BIÊNIO?

Presidente do legislativo por algumas horas, Marco Celito, emitiu um edital convocando eleições para o segundo biênio. Com anulação da sessão de terça-feira (11), essas eleições estão suspensas até o momento, e não se tem informações de como será esse outro processo.

Ou seja, seguimos numa completa indefinição para o biênio 2019-2020. Lembrando, também, que hoje é o último dia útil do período legislativo de 2018, ou seja, a Câmara entra de recesso na próxima segunda-feira (17).

RESUMO?

A bagunça da primeira sessão foi suficiente para que a Justiça anulasse a mesma e conferisse ao legislativo a oportunidade de realizar uma nova sessão com uma série de restrições.

Como tenho dito, quase sempre, voltamos a estaca zero…

TRE-RN anuncia data das eleições suplementares em Santa Cruz e Passa e Fica

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte definiu a data das eleições suplementares nos municípios de Santa Cruz e Passa e Fica. Será no dia 03 de fevereiro de 2019, das 8h às 17h.

A data foi disponibilizada pelo Tribunal Superior Eleitoral e acatada hoje por todos os membros da Corte no RN.

O TRE-RN cassou os mandatos da prefeita e vice-prefeito do município de Santa Cruz/RN (16a zona eleitoral), Fernanda da Costa Bezerra e Ivanildo Ferreira Lima Filho, em virtude da prática de abuso de poder político com repercussão econômica nas eleições de 2016.

A Justiça Eleitoral do Rio Grande do Norte também afastou o prefeito e ao vice-prefeito do município de Passa e Fica, na região Agreste potiguar. Leonardo Lisboa (PSD) e o seu vice, Aluízio Almeida de Araújo foram afastados dos cargos por terem cometido os ilícitos de abuso de poder econômico e político durante o pleito eleitoral de 2016. A resolução que trata das eleições suplementares está no PJe -0601622-74.2018.6.20.0000.

Fonte: Ascom/TRE-RN

Gean Paraibano convoca sessão para amanhã (14) ao meio-dia

O presidente da Câmara Municipal, Gean Paraibano, convocou a sessão especial de eleição da Mesa Diretora. Confira a convocação extraordinária:

Gean Paraibano pode ser preso caso descumpra decisão judicial

O juiz Ederson Solano determinou que o presidente do legislativo, Gean Paraibano, cumpra a decisão do judiciário com urgência, sob pena de ser preso em flagrante. Confira:

“[…] que o Sr. Genicleide Azevedo, na condição de Presidente interino da Câmara Municipal de Santa Cruz, seja intimado para, no prazo de 24 (vinte e quatro) horas, promover a sessão para escolha dos membros da Mesa Diretora daquele órgão, sob pena de responder administrativa (por improbidade) e criminalmente pela desídia, podendo ser preso em flagrante, ou encaminhado à Delegacia, para esclarecimentos, caso promova subterfúgios para o insucesso do ato; […]”

Em sua argumentação, o juiz considera que o presidente do legislativo contribuiu nos problemas que ocorreram durante o processo.